segunda-feira, 31 de agosto de 2009

Sponholz
Fonte: www.sponholz.ar.br
FRASE DO DIA
“É algo que nos chama a fazer esse revezamento, de que ninguém deve querer ser líder de tudo e querer ser líder do resto. Isso não dá certo. E no Brasil isso está destruindo a política... um pouco.”Senadora Marina Silva (PV-AC)

sábado, 29 de agosto de 2009

Artigo

Candidatura Dilma em quarentena

A candidatura Dilma Roussef está fechada para balanço. O desgaste provocado pelo embate com a ex-secretária da Receita Federal, Lina Vieira, que resultou em crise e demissões em cascata naquela estratégica repartição, superou as estimativas do governo.

Constata-se que houve uma sucessão de inabilidades políticas, a que o próprio Lula deu sua contribuição – e que contribuição! -, ao envolver-se diretamente no bate-boca, desafiando a ex-secretária a exibir sua agenda. Em política, primeiro escalão não polemiza com o terceiro: pune ou silencia.

Ao profanar essa regra, Lula deu ao caso a dimensão política que está tendo – e que, em circunstâncias normais, não teria. Se a intervenção de Dilma já era excessiva, e desnecessária, imagine-se a do presidente da República. Na sequência, houve o depoimento de Lina no Senado e a desastrada intervenção do Gabinete de Segurança Institucional, sustentando a inexistência no Palácio de registros de visitas havidas há mais de um mês, o que é tecnicamente questionável, para não dizer improvável.

O resultado é o desgaste, político e moral, que tem gerado enormes preocupações dentro do PT. Figuras de alto coturno do partido questionam a candidatura de Dilma, que, antes mesmo da polêmica, já não entusiasmava.

Dilma, na verdade, foi (e é) uma invenção pessoal de Lula. Não seria jamais cogitada espontaneamente pelo partido, por não reunir as condições básicas para tal. Antes de mais nada, não se trata de uma petista histórica. Dilma é egressa do PDT, não tem perfil político e é vista tão-somente como uma técnica, sem carisma e sem simpatia pessoal.

Com toda a exposição pública que ganhou por meio de Lula, comparecendo há meses a todos os lançamentos do PAC em todo o país, não conseguiu aproximar-se nas pesquisas do governador de São Paulo, José Serra, que ainda não se lançou candidato, nem se expôs em viagens nacionais.

Como se não bastasse, expôs-se, ao longo do tempo, a sucessivos desgastes, como o episódio do dossiê contra o ex-presidente Fernando Henrique e sua mulher, dona Ruth Cardoso, e o caso da incorreção de seu currículo, que a dava indevidamente como mestra e doutora em economia.

Para agravar o quadro, a senadora Marina Silva deixou o partido e será candidata pelo PV, o que ameaça o principal ativo eleitoral de Dilma: sua condição feminina. Nesse quesito, Marina Silva apresenta trunfos mais sedutores: uma biografia rica, semelhante à de Lula, acrescida de ingredientes mais glamourosos, como o de ser negra, ter superado já adulta a condição de analfabeta e de não portar mácula em sua trajetória política.

Lula, mesmo assim, ainda aposta na sua ministra. Entende que a fervura política a que se expôs é passageira, circunscreve-se a um público limitado e em breve estará superada. Por isso mesmo, decidiu que a deve manter à distância do burburinho, em quarentena. E é como está. A oposição, porém, não pensa em largar o caso.

Quer levá-lo às últimas conseqüências, insistindo em que o Planalto, tendo em vista os termos do contrato com a empresa responsável pelo registro de imagens de visitantes – que prevê guarda de seis meses dos registros e posterior backup -, forneça as informações que nega possuir. Pode não dar em nada (e não dará), mas prorroga a exposição do caso. O ministro da Fazenda, Guido Mantega, e o sucessor de Lina na Receita, Otacílio Cartaxo, com declarações desastradas, auxiliam nessa estratégia.

Não há dúvida de que o caso chegará aos palanques da campanha do ano que vem, se Dilma for mesmo a candidata. Embora não haja outro nome disponível, nem Lula dê sinais de que recuará, já há dúvidas. O PT vive o paradoxo de possuir um presidente popularíssimo, num governo com alto índice de aprovação, sem um nome capaz de capitalizar esse patrimônio eleitoral.

O balanço a que a candidatura Dilma está submetido embute a discussão em torno de nomes alternativos. Pretendentes a substituí-la, não faltam. Falta, sim, um nome consistente, capaz de agradar a Lula, ao alto comando do partido e, sobretudo, ao eleitor. Lula, que precipitou a campanha ao lançar Dilma antes mesmo que a legislação eleitoral o autorizasse, vê-se forçado pelos fatos a perder a pressa.

O processo, porém, não recua. Serra, esta semana, pela primeira vez, admitiu formalmente que é candidato, enquanto Ciro Gomes e Marina Silva já falam nessa condição.

Ruy Fabiano é jornalista

Charge

Deu na Veja

Por dentro do cofre do MST

VEJA teve acesso às movimentações bancárias de quatro entidades ligadas aos sem-terra. Elas revelam como o governo e organizações internacionais acabam financiando atividades criminosas do movimento

De Policarpo Junior e Sofia Krause:

Assertivos do ponto de vista ideológico, os líderes do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra são evasivos quan-do perguntados de onde vêm os recursos que sustentam as invasões de fazendas e manifestações que o MST promove em todo o Brasil.

Em geral, respondem que o dinheiro é proveniente de doações de simpatizantes, da colaboração voluntária dos camponeses e da ajuda de organismos humanitários. Mentira.

O cofre da organização começa a ser aberto e, dentro dele, já foram encontradas as primeiras provas concretas daquilo de que sempre se desconfiou e que sempre foi negado: o MST é movido por dinheiro, muito dinheiro, captado basicamente nos cofres públicos e junto a entidades internacionais.

Em outras palavras, ao ocupar um ministério, invadir uma fazenda, patrocinar um confronto com a polícia, o MST o faz com dinheiro de impostos pagos pelos brasileiros e com o auxílio de estrangeiros que não deveriam imiscuir-se em assuntos do país.

VEJA teve acesso às informações bancárias de quatro organizações não governamentais (ONGs) apontadas como as principais caixas-fortes do MST. A análise dos dados financeiros da Associação Nacional de Cooperação Agrícola (Anca), da Confederação das Coo-perativas de Reforma Agrária do Brasil (Concrab), do Centro de Formação e Pesquisas Contestado (Cepatec) e do Instituto Técnico de Estudos Agrários e Cooperativismo (Itac) revela que o MST montou, controla e tem a seu dispor uma gigantesca e intrincada rede de abastecimento e distribuição de recursos, públicos e privados, que transitam por dezenas de ONGs espalhadas pelo Brasil:

• As quatro entidades-cofre receberam 20 milhões de reais em doações do exterior entre 2003 e 2007. A contabilização desses recursos não foi devidamente informada à Receita Federal.

• As quatro entidades-cofre repassaram uma parte considerável do dinheiro a empresas de transporte, gráficas e editoras vinculadas a partidos políticos e ao MST. Há coincidências entre as datas de transferência do dinheiro ao Brasil e as campanhas eleitorais de 2004 e 2006.

• As quatro entidades-cofre receberam 43 milhões de reais em convênios com o governo federal de 2003 a 2007. Existe uma grande concentração de gastos às vésperas de manifestações estridentes do MST.

• As quatro entidades-cofre promovem uma recorrente interação financeira com associações e cooperativas de trabalhadores cujos dirigentes são ligados ao MST.

• As quatro entidades-cofre registram movimentações ban-cárias estranhas, com vul-tosos saques na boca do caixa, indício de tentativa de ocultar desvios de dinheiro.

Entre 2003 e 2008, segundo levantamentos oficiais, cerca de trinta entidades de trabalhadores rurais receberam do governo federal o equivalente a 145 milhões de reais. O dinheiro é repassado em forma de convênios, normalmente para cursos de treinamento.

O Tribunal de Contas da União já identificou irregularidades em vários desses cursos. São desvios como cadastros de pessoas que não participaram de aula alguma e despesas que não existiram justificadas com notas frias. A Anca, por exemplo, teve os bens bloqueados pela Justiça após a constatação de que uma parte dos recursos de um convênio milionário assinado com o Ministério da Educação, para alfabetizar jovens, foi parar nos cofres do MST.

Teoricamente, a Anca, a Concrab, o Cepatec e o Itac são organizações independentes, sem nenhum vínculo oficial entre si ou com o MST. Mas só teoricamente. A quebra dos sigilos bancário, fiscal e telefônico das entidades-cofre mostra que elas fazem parte de um mesmo corpo, são uma coisa só, bem organizada e estruturada para dificultar o rastreamento do dinheiro que recebem e administram sem controle legal algum.

Assinante da revista leia mais em Por dentro do cofre do MST

FRASE DO DIA
É questão clara de status: 99,9% dos brasileiros na situação do ex-ministro [Palocci] seriam réus a essa altura.
Luiz Flávio Gomes, jurista, sobre a decisão do STF de recusar denúncia contra Antonio Palocci por quebra do sigilo bancário do caseiro Francenildo Costa

Consulta médica

Foto

O presidente Lula recebeu certa vez a visita do então prefeito de Rio Sul (SC), Jaílson Lima da Silva (PT), que é médico. Sentindo-se mal, Lula pediu uma consulta rápida, ali mesmo, para verificar se era sinusite. O prefeito brincou:
- O senhor vai pagar pela tabela do SUS ou particular?
- Pelo SUS – respondeu o presidente.
Correu o risco de não ser atendido.

Militância precoce

Hoje aos 53 anos, o presidente do Sebrae nacional, Paulo Okamoto tinha apenas oito anos de idade quando se deu o golpe de 1964 e quinze anos quando o general Médici arrebentava como ditador. Ainda assim, conseguiu uma “bolsa-ditadura” como “perseguido político”.


do site de claudio humberto.

‘Tamofu’

O ex-prefeito do Rio Cesar Maia cunhou em seu blog nova terminologia da gripe suína: gripe Dilm.A.


do site de claudio humberto.

Sponholz

Sponholz

Marina Silva assina filiação ao PV

O Partido Verde prepara para este domingo (30), em São Paulo (SP), uma grande festa que oficializará o ingresso da senadora Marina Silva (AC) na legenda. O vice-presidente do partido, Alfredo Sirkis, publicou na página do PV na internet que uma convenção nacional “festiva” vai oficializar a filiação da senadora, primeiro passo para uma eventual candidatura presidencial em 2010. Marina poderá indicar nove pessoas de sua confiança para integrar a Executiva Nacional do PV. Os novos integrantes serão responsáveis pela elaboração do texto base que norteará o novo programa partidário e de governo, além da campanha presidencial. Sobre uma possível candidatura à presidência da República, o PV preferiu não confirmar nenhuma informação antecipada.

do site de claudio humberto.

sexta-feira, 28 de agosto de 2009

Tesoureiro de Lula também terá
bolsa-ditadura

Paulo Okamotto, 53, presidente do Sebrae, amigão e ex-tesoureiro do presidente Lula, vai receber uma grana preta (nossa) do Ministério da Justiça a título de indenização como “anistiado político”. Um alívio para quem pagou dívidas de Lula no PT e até R$ 26 mil da filha do presidente, Lurian, sem explicar até hoje exatamente como. Ele entrou com o pedido de anistia em 2003, cinco meses após a posse de Lula.


Bingo!

Petista amigo do presidente há mais de trinta anos, Okamotto escapou da quebra de seu sigilo bancário durante a esquecida CPI dos Bingos.


Milagre dos peixes

Discreto e modesto, o velho amigo nunca explicou como podia esbanjar generosidade só com seu salário no Sebrae. Salvou-o a anistia.

A velha ‘caixinha’

O ex-petista Paulo de Tarso Venceslau afirmou na CPI que Okamotto recolhia dinheiro de prefeituras para a caixinha do PT. Ele negou.

Delúbio faz doce

Piada da hora em Brasília: o ex-tesoureiro do mensalão Delúbio Soares já pensa em desistir de voltar ao PT, indignado com tanta bandalheira.

Nó em pingo d’água

Ex-prefeito de Juazeiro (BA), com fama de ser o político mais esperto da região, Joseph Bandeira fazia campanha para deputado federal, em 1994, quando foi recebido com protestos na casa de uma eleitora:
- Como você tem coragem de me pedir de voto, se me deu um chá de cadeira de quatro horas na prefeitura e não me recebeu?
- Minha amiga, eu não vim lhe pedir voto, eu vim foi lhe pedir desculpa por não poder atendê-la naquela ocasião - safou-se Bandeira.

Sponholz

Sponholz

quinta-feira, 27 de agosto de 2009

Socuerro! Padre atropela Jesus!


E sabe o que o Sarney falou quando o Suplicy mostrou o cartão? Débito ou crédito?


BUEMBA! BUEMBA! Macaco Simão Urgente! O esculhambador-geral da República. Direto do País da Piada Pronta!
Direto de São José do Rio Preto: padre toma uns goró e atropela motoqueiro! Como se chama o motoqueiro? JESUS! Padre atropela Jesus. E nem prestou socorro! Diz que desrespeitou o sinal de "Pare"! Acho que ele desrespeitou o sinal da cruz! E o Belchior, hein? Deu no Cansástico que o Belchior sumiu: não está em casa, a família não acha e encontraram o carro dele no aeroporto. No aeroporto? Perdeu o medo de avião?! Isso a gente tem certeza: Belchior perdeu o medo de avião. E o Kibeloco falou que o Belchior tá sumido desde 1976! E ele cantava: "Então um amigo meu". E uma prima entendia: "Então o analista me comeu". Rarará. Terapia perfeita. E o Senado? O SENATÓRIO Federal! Melhor que Zorra Total! Suplicy dá cartão vermelho pro Sarney.
Mas o jogo já acabou! Sarney 10 X 0 Brasil! Imagine o Suplicy como juiz de futebol? Ele apitava o pênalti do jogo passado. "Prrriiii! Ei, como você se chama mesmo? Domingo passado você cometeu um pênalti. Cartão Vermelho!" E sabe o que o Sarney falou quando o Suplicy mostrou o cartão? Débito ou crédito? Cartão vermelho efeito retardado! Como disse um amigo meu: só faltou ele pedir o impeachment do Collor! Rarará! E ele deu um piti. Acho que tomou um energético: coristina com groselha.
Que piti. Por isso que o Supla tem aquele cabelo arrepiado. Eu sei o que tava escrito no cartão vermelho: VIVA BOB DYLAN!
Piti do Suplicy com aparte do Heráclito Fortes. O Cacique Línguas Pesada: vofeesfelênfia! Parece velha comendo bolacha. Rarará. E o Sarney não é um ícone do Senado. É um MÍCONE. O MÍCONE DO SENADO! E o trio Lula-Mercadante-Sarney? BBB: o Barbudo manda, o Bigode obedece e o Bigodão agradece! Rarará! Tá todo mundo louco. OBA!
Rarará! É mole? É mole, mas sobe!
Ou como disse aquele outro: é mole, mas rela pra ver o que acontece!
Antitucanês Reloaded, a Missão.
Continuo com a minha heroica e mesopotâmica campanha Morte ao Tucanês. Acabo de receber mais um exemplo hilário de antitucanês. É que em Maarã, Amazonas, tem um barzinho chamado RASGA VELHA!
Mais direto impossível. Viva o antitucanês. Viva o Brasil!
E atenção! Cartilha do Lula. O Orélio do Lula. Mais um verbete pro óbvio lulante. "Primogênito": primo mais velho do companheiro Genito!
Rarará! O lulês é mais fácil que o ingrêis! Nóis sofre, mas nóis goza. Hoje só amanhã. Que eu vou pingar o meu colírio alucinógeno.
ACORDA BRASIL!
QUE EU VOU DORMIR!

simao@uol.com.br


Folha de S. Paulo, 27 de agosto de 2009

Oposição radical

Foto

No governo Castelo Branco, o governador de Minas, Magalhães Pinto, tentava expiar sua parcela de culpa pelo golpe de 1964 atacando a política econômica do ministro Roberto Campos, acusando-o de “americanista” e “entreguista”. Certa vez, um amigo observou que Campos poderia até estar equivocado, mas era um brilhante economista. Magalhães concordou:
É mesmo brilhante. Pena que o Brasil não tenha dólares suficientes para pagar pelo trabalho dele...

Receita proverbial

Quando um não mente, dois não brigam.

Sarney diz prefirir o cartão “da paz”

Foto

Após receber “cartão vermelho” do senador Eduardo Suplicy (PT-SP), o presidente do Senado Federal, José Sarney, afirmou hoje (26) que o cartão de sua preferência “é o branco, que simboliza a paz”. Segundo o peemedebista, não existe interesse de sua parte em prolongar a crise no Senado Federal. A declaração de Sarney foi motivada pelas cobranças dos senadores do PSDB que o questionaram por ter responsabilizado os tucanos pela crise que atingiu o Senado. Para o presidente do PSDB, Sérgio Guerra (PE), o presidente Lula “é o principal responsável pela crise na Casa” e que fez do PT “a grande vítima da crise do Senado”.

Fora de foco

Para o presidente do DEM, deputado Rodrigo Maia (RJ), o governo agiu com inteligência ao “esconder” a ministra Dilma Rousseff.

Pensando bem...

...quando um petista mostra um cartão, ainda que vermelho, há apenas uma certeza: é corporativo

"Isso, no regime militar, não assistimos tão fortemente como hoje
Ex-presidente Itamar Franco, sobre a influência do presidente Lula no Senado Federal

quarta-feira, 26 de agosto de 2009

Vale a pena”


O Planetario Internacional de Vancouver, da British Columbia - Canadá, calculou a precisão em que Marte estará orbitando perto da terra. Será no dia 27 de agosto de 2009.

Todavia, o mais interessante de tudo é que isto estava previsto em um código Maya, encontrado na piramide ao lado do Observatorio Estrelar em Palenque, Chiapas -México.

Com este cálculo matemático Maya, agora os Mayas estão sendo vistos como os gregos da America, e orgulho da Guatemala.

Pelo menos, quatro ou cinco gerações da humanidade não voltará a ver este fenomeno natural, e poucas pessoas sabem até o momento, embora tenha sido noticiado em 11 de maio de 2009.

Duas Luas no Ceu

No dia 27 de Agosto, a meia noite e meia, olhe para o ceu,

O planeta Marte será a estrela mais brilhante do ceu, e será tao grande quanto a lua cheia, e estará a 55,75 milhões de kilometros da terra.

Não perca!!

Será como se a terra tivesse duas luas, e este acontecimento só se produzirá no ano de 2287.

Divulgue esta informação, pois nem

todos terão a oportunidade de rever.

terça-feira, 25 de agosto de 2009

DO JEITO DE MICHAEL JACKSON


No seu processo degenerativo, muito mais acelerado do que se poderia imaginar, o PT se volta agora para blindar a sua candidata, aliás, candidata de Lula, Dilma Rousseff, sobre quem não se sabe se mente ou diz a verdade no seu envolvimento, ou suposto, para salvar a família Sarney das garras do leão do IR. Em outras palavras, suposta sonegação. Pelas regras da elite petista palaciana, ao que parece, quem deve pagar imposto de renda são os assalariados, os trabalhadores (com descontos em folha de pagamento) e a classe média. Não as grandes empresas com lucros estonteantes que escamoteiam informações ao fisco. A ex-diretora da Receita Lina Vieira considerou estranha uma conversa com Dilma sobre investigações tendo como alvo Fernando Sarney. Ela acabou exonerada, e, ontem, mais dois integrantes da sua equipe também o foram. Eles priorizavam a fiscalização dos grandes grupos econômicos do País. Clique aqui para ler a íntegra da coluna de Samuel Celestino publicada hoje no jornal A Tarde.

Best-seller

Sugestão para um novo livro de José Sarney, após a atuação decisiva de Lula no Senado: “Companheiro de fogo”.


do site de claudio humberto.

Devagar com o andor

Sem negar-lhe o mérito, prudentes com a candidatura de Marina Silva lembram que ela é da mesma corrente cristã do ex-presidente George W. Bush, que nega a teoria da evolução de Darwin: o criacionismo.


do site de claudio humberto.

Efeitos colaterais

Assessores íntimos da ministra Dilma Rousseff lamentam, mas a coisa está feia. Ela não leva jeito de que vá disputar a eleição presidencial.


do site de claudio humberto.

Receita sabe a data da reunião Dilma-Lina

A memória pode ter traído a ex-secretária Lina Vieira, mas a Receita Federal sabe exatamente o dia em que ela se reuniu com a ministra Dilma Rousseff. Sabe, mas esconde a prova. É que, ao retornar do encontro, Lina consultou a situação dos processos envolvendo um dos filhos do senador José Sarney. Todos os ingressos nos sistemas da Receita ficam registrados, com nome do usuário, dia e hora do acesso.


Cadê o sistema?

Em 2005, o general Jorge Félix (Segurança Institucional) gastou R$ 3,2 milhões no sistema de “identificação digital” de quem entra no Planalto.


Lina, a invisível

A “identificação digital” do general Félix inclui 225 câmeras, sensores cancelas, catracas, cartões. Agora diz que nada disso “viu” Lina Vieira.


Foto deletada

A “identificação digital” fotografou e fez imagens de Lina Vieira, que sumiram para Dilma Rousseff não passar por mentirosa.


Perguntar não prova

O apagador de fitas de vídeo está entre os gastos secretos da Presidência da República?


do site de claudio humberto.

Senado pode extinguir Código de Ética

A Comissão de Constituição e Justiça do Senado poderá analisar, na reunião desta quarta-feira (26), o projeto que revoga a resolução de 1993 que instituiu o Código de Ética e Decoro Parlamentar. Os projetos de resolução que serão analisados sobre o mesmo assunto também versam sobre a composição e atribuição do Conselho de Ética da Casa.

do site de claudio humberto.

DEU NA FOLHA DE S. PAULO

O jeito PT de governar

De Eliane Cantanhêde:

Na Casa Civil, assessores faziam dossiês de cunho nitidamente político contra um ex-presidente da República.

No Banco do Brasil, o sindicalismo tomou de assalto a Previ, a Cassi, a Fundação BB e quase todas as diretorias (só escaparam a de agronegócio e a de relações internacionais, por falta de quadros com desenvoltura nessas áreas). Daí a surgirem aloprados comprando dossiês contra adversários em eleições e coisas do gênero foi um pulo.

Na Polícia Federal, por mais méritos que a maioria das operações tenha, virou cada um por si e ninguém por todos. Ao ponto de um delegado grampear os telefonemas do Planalto, rechear relatórios policiais de adjetivos "ideológicos" e no final cada um ter de ser despachado para bem longe.

Não há surpresa quando esse jeito petista de governar chega à Receita Federal. Aliás, já não era sem tempo. E foi assim que mais de dez funcionários colocaram seus cargos à disposição ontem, inclusive o subsecretário de Fiscalização, Henrique Jorge Freitas da Silva.

O último apague a luz. Até que o novo grupo, ligado ao PT do B, ou PT do C, venha acender as luzes, reativar a tática de ocupação e fazer tudo o que seu mestre mandar.

A debandada foi resultado direto da exoneração de Alberto Amadei Neto e de Iraneth Maria Dias Weiler, que foram assessor e chefe de gabinete de Lina Vieira, demitida em 9 de julho numa situação que ainda não ficou muito clara.

Por incompetência? Será? Ou pode muito bem ter sido por incompatibilidade de métodos -segundo Lina, a ministra Dilma queria "agilizar" as investigações contra o empresário Fernando Sarney. E "agilizar" combina mais com o vocabulário do PT no poder do que com o da técnica com 30 anos de carreira.

É assim, de órgão em órgão, de instituição em instituição, que vamos aprendendo como é uma "gestão republicana". Sem falar na Petrobras da companheirada.

do blog do Noblat.

FRASE DO DIA
Não é importante, não em hipótese alguma.
Ricardo Berzoni, presidente do PT, sobre a denúncia de que o senador Tião Viana (PT-AC) omitiu a propriedade de um terreno de sua declaração de bens à Justiça Eleitoral

segunda-feira, 24 de agosto de 2009

Em nome de Deus

Foto

No governo Costa e Silva, uma campanha recolhia fundos para a conclusão da Catedral de Brasília, com apoio da primeira-dama, Yolanda. Preocupado com as fofocas sobre desvio de recursos, o então subchefe do Gabinete Civil, José de Assis Aragão, pediu a um jornalista para divulgar a decisão: o templo não seria apenas católico, mas ecumênico. Em pouco tempo a obra estava concluída. Aragão confessaria depois que a história do ecumenismo era só para dar um susto nos católicos e fazer o dinheiro aparecer:
- É pura mentira, mas Deus vai entender.

Sponholz

Sponholz

Sponholz

Sponholz

" Lula age com soberba, desprezando os antigos companheiros "

Senador Pedro Simon (PMDB-RS), criticando a ação do presidente Lula na ‘crise’ do PT
LULA NO PAÍS DAS MARAVILHAS



Observem a notícia dando conta de que o Brasil, um país riquíssimo, sem pobreza, sem desigualdade social, de primeiríssimo mundo, vai financiar, via BNDES, a construção de uma rodovia entre os vales de Cochabamba e a Amazônia boliviana. O rico Brasil financiará 332 milhões de dólares e uma construtora brasileira executará a obra. Num domingo preguiçoso, coço a cabeça e me interrogo: o Tribunal de Contas da União poderá auditar a obra realizada em outro país? Não. De que forma a Bolívia licita obras com dinheiro brasileiro? Não sei. Qual a empreiteira verde-amarela que fará a obra? Segredo. Olha, não quero afirmar nada. Mas isso cheira a dízimo para caixa-dois de campanha eleitoral. Cheirar é diferente de comer. E alguém vai comer? Há algo de podre entre os Andes e a Amazônia boliviana. Não. Talvez não haja. Bondade apenas do presidente Lula com Evo Morales.

(Samuel Celestino, do Bahia Notícias)

TIÃO VIANA OMITIU CASA MILIONÁRIA DA JUSTIÇA


Jorge Araújo/Folha Imagem

Casa do senador Tião Viana avaliada em R$ 600 mil

A exemplo do senador José Sarney (PMDB-AP), o petista Tião Viana, do Acre, que disputou com ele a Presidência do Senado, em 2008, também ocultou patrimônio da Justiça Eleitoral. Na campanha para senador, em 2006, Viana não declarou um terreno no melhor condomínio residencial de Rio Branco, adquirido dois anos antes. A compra do terreno foi registrada no cartório de imóveis de Rio Branco com valor de R$ 30 mil. No terreno, Viana e sua mulher construíram uma casa de 477 metros quadrados, concluída em maio de 2007. A casa foi avaliada em R$ 600 mil, no termo de habite-se emitido pela prefeitura. José Sarney não informou à Justiça Eleitoral a casa onde mora, em Brasília, avaliada em R$ 4 milhões, e atribuiu a omissão, primeiro, a um erro de seu contador e, depois, a mero ""esquecimento". A assessoria do senador Tião Viana alegou que o terreno não foi declarado à Justiça Eleitoral porque pertencia à mulher dele, Marlúcia Cândida Viana. Mas, como o senador é casado em regime de comunhão total de bens, o imóvel pertence aos dois, segundo tributaristas ouvidos pela Folha de S. Paulo, que faz a denúncia.

do Bahia Notícias.

Alô Alô: Baiano é uma das 100 personalidades mais influentes do agronegócio

O empresário e publicitário baiano Marco Lessa foi eleito, pela segunda vez, uma das 100 personalidades mais influentes do agronegócio no Br...