segunda-feira, 30 de novembro de 2009

COMERCIAL DA KAISER GERA BATALHA JUDICIAL








Um comercial de TV da cerveja Kaiser mostra o ator Humberto Martins falando sobre uma pesquisa encomendada ao Datafolha, onde sem saber que cerveja estão bebendo, os entrevistados escolhem como preferida a Kaiser, deixando a Skol em segundo lugar. A AmBev que sempre se envolve em batalhas judiciais aproveitou a oportunidade para entrar em mais um processo. Saiba os detalhes e confira o vídeo do comercial na Coluna Justiça! E ainda: por conta da ação tímida do Ministério Público estadual, espaços públicos de Salvador e de cidades do interior continuam a receber nomes de pessoas vivas no estado da Bahia, em geral de políticos. Leia essas e outras notícias na Coluna Justiça!

MALA BRANCA




Robin Williams diz que Rio só venceu disputa pelas Olimpíadas porque teria enviado “50 strippers e meio quilo de pó para Copenhague”



***
Responda depressa: qual o melhor comentário sobre a notícia acima?
a) Calúnia! Meio quilo de pó e 50 strippers nós mandamos pela Copa.
b) Só meio quilo de pó? Isso não servia de mala branca nem na época do Casagrande.
c) E tem mais! Só não pegamos as Olimpíadas de Inverno porque o Lula travou as 300 garrafas de cachaça.

Do Kibe Loco.

COLÔMBIA PROÍBE SORVETE COM VIAGRA




O Instituto de Vigilância de Medicamentos e Alimentos (Invima) proibiu a comercialização da “Sobremesa da Paixão”, uma espécie de sorvete temperado com viagra em pó, apresentada recentemente na Feira de Gastronomia de Bogotá, na Colômbia. Após análises de laboratório, ficou comprovado que a guloseima dos “assanhadinhos” não deixava os que consumiam com volumes excessivos por acaso. A merenda do tesão continha traços de sildenafi, princípio ativo do mais famoso medicamento para impotência sexual que tem feito a alegria dos impotentes, casais em decadência sexual e tarados de plantão. De acordo com a imprensa colombiana, o órgão oficial advertiu que quem utiliza medicamentos como ingredientes na preparação de pratos, especialmente em sobremesas desse tipo, infringe as normas sanitárias vigentes, pois está a enganar a população. Uma coisa é certa: enganando ou não, tem muito colombiano procurando a tal quitute para adocicar o casamento.
(Tiago Melo) Do Bahia notícias.

Macaco Simão, do UOL.

Enchentes! Banana boat sem IPI!
E começou a alta temporada do Datena! O Datena é o Galvão Bueno das enchentes!
BUEMBA! BUEMBA! Macaco Simão Urgente! O esculhambador-geral da República! Direto do País da Piada Pronta!"Carro invade loja de shopping na Região Oceânica de Niterói." Como é o nome da motorista? Maria Cleia PILOTTO! Rarará! E, ainda por cima, ela invadiu sabe o quê? Uma barbearia! E em Natal tem uma pousada chamada O Coice da Burra! Centro de Lazer e Educação Ambiental Coice da Burra. Eu pensei que Coice da Burra fosse a Sheila Mello brigando em "A Fazenda"! Rarará! E começou a alta temporada do Datena: as enchentes! O Datena é o Galvão Bueno das enchentes! Grita: "Poderes públicos, autoridades competentes". E com razão. Galvão Bueno com razão. Avenida em São Paulo não tem pista, tem raia. E pra chegar ao aeroporto eu virei a estibordo e depois virei a bombordo e cheguei a Congonhas. Fechado! Rodoanel: todo mundo de rodo na mão. Motoboy vira botoboy: moto com motor de popa! Pra esse verão eu quero banana boat sem IPI! E os impostos: IPVA é Imposto para Vias Alagadas; IPTU, Imposto para Teto Úmido; e IPBA, Imposto sobre Bote! O negócio é zoar o Palmeiras! O técnico mudou de nome. Não é mais Muricy, é ESMORECI. Esmoreci Ramalho! E como você sabe que um carro é velho? Quando tem o adesivo "Palmeiras Campeão do Brasileirão"! E a palmeirense na escola. Professora: "Por que a sua redação não tem título?". "Porque eu sou Palmeiras". E os palmeirenses vão ter que fazer um seguro: PORCO SEGURO! E pergunta pro Kassab se casa alagada tem que pagar os 40% de aumento de IPTU. O HIPER-TU! E essa: "Filho de Lula e mais 15 amigos pegam carona em avião da FAB". O nome do filme? O Filho do Filho do Brasil! Ou, segundo o chargista Claudio: "BOLSA MINHA FAMÍLIA!". E o Serra no programa da Lucianta Gimenez? "Não consigo ver sangue." Que pula em cima. O Serra virou assistente de palco da Lucianta? É a décima vez que ele vai lá. E, se o Serra ganhar, não vai mais ter dia no Brasil, só noite! E o drinque oficial vai ser o bloody mary! E um amigo meu se meteu numa encrenca em Belo Horizonte e foi parar na delegacia. E tinha três mulheres encostadas na parede. O delegado: "Vocês aí, o que são?". "Nóis? Nóis é puta em Betim." É mole? É mole, mas sobe! Ou, como disse o outro: é mole, mas chacoalha pra ver o que acontece! E atenção! Cartilha do Lula. O Orélio do Lula. Mais um verbete pro óbvio lulante. "Enchurrada": companheira que vende churros na enchente! O lulês é mais fácil que o ingrêis. Nóis sofre, mas nóis goza. Hoje só amanhã. Que eu vou pingar o meu colírio alucinógeno. E vai indo que eu não vou! simao@uol.com.brFolha de S. Paulo, 28 de novembro de 2009

Volkswagen patrocinará Seleção Brasileira de Futebol por 5 anos

Empresa também anunciou investimento de R$ 6,2 bilhões no Brasil para a ampliação das fábricas e novos produtos
A Volkswagen oficializou nesta quinta-feira (26) o patrocínio à Seleção Brasileira de Futebol. A informação já havia sido publicada no site da CBF (Confederação Brasileira de Futebol). O contrato será válido pelos próximos 5 anos, até a Copa do Mundo de 2014. Além da Volks, a Seleção mantém contrato com Nike, AmBev (Guaraná), Itaú, Vivo, TAM, Gillette e Grupo Pão de Açúcar.
"Há uma grande sinergia entre a Volkswagen e o time do Brasil. Assim como a Seleção Brasileira de Futebol, a marca expressa valores bastante importantes para o brasileiro, como confiabilidade, amizade, paixão e proximidade ao público", afirmou o vice-presidente de vendas e Marketing da Volkswagen do Brasil, Flavio Padovan.
Outro fator que contribuiu para a parceria é o fato de o nome do carro mais vendido da Volkswagen no Brasil fazer alusão direta ao futebol. Não por acaso, o Gol é o carro mais vendido do País há 22 anos consecutivos.
Com o patrocínio à seleção, a Volkswagen poderá usar a marca da CBF em sua comunicação, além de desenvolver outras atividades promocionais. O ônibus que transportará a Seleção Brasileira nos jogos e treinos também será doado pela Volkswagen.
INVESTIMENTOSA Volks também informou que investirá um total de R$ 6,2 bilhões no País entre 2010 e 2014. Os aportes serão destinados para a ampliação da linha de produtos e o aumento da capacidade produtiva.
"Com estes investimentos o Grupo Volkswagen fortalecerá de forma sustentável a sua posição de liderança competitiva no Brasil", disse Martin Winterkorn, presidente do Conselho de Administração do Grupo Volkswagen. "O Brasil é um dos nossos mercados em crescimento mais importantes no mundo, onde esperamos aumentos significativos da demanda nos próximos anos. Por isso estamos agora adequando a nossa capacidade produtiva."
"Neste ano cresceremos significativamente no Brasil e ganharemos participação de mercado. O nosso objetivo é vender um milhão de veículos por ano no Brasil até 2014, dando assim uma importante contribuição ao sucesso da estratégia do Grupo Volkswagen até 2018", disse Thomas Schmall, presidente da Volkswagen do Brasil.

Trem-bala vai detonar o Tesouro Nacional
Os números não mentem jamais: se aprovado, o trem-bala Rio-São Paulo consumirá R$ 34,6 bilhões ou quase 10% das reservas brasileiras e mais que o saldo da balança comercial dos últimos dois anos, somados. O custo total das Olimpíadas 2016 é de R$ 25 bilhões, o da usina Belo Monte - o maior projeto em execução no mundo - cerca de US$ 16,5 bi. A proposta inicial dos caças Rafale foi um quarto disso.

Sopa de números
Os seis submarinos que o Brasil comprou, nuclear incluído, custarão US$ 6 bilhões e os 50 helicópteros franceses, a mixaria de US$ 1,8 bi.

O Brasil nos trilhos
Para dar lucro, o trem-bala precisaria transportar 137,6 milhões, mais de 60% da população brasileira, calcula um executivo do setor.

Põe na conta
Como não poderia deixar de ser, a ministra Dilma garante que o projeto sai. Descalhirará nas contas do próximo governo. E no nosso bolso.

Tela fria
A TV Brasil, TV do governo que ninguém vê, ganhou R$ 7,8 milhões para “democratizar o acesso à informação jornalística e cultural”.

Contrabando jurídico com o Paraguai
Depois do affair Battisti, o Supremo poderá se envolver em outra pendenga: a extradição dos paraguaios Juan Arrom e Anuncio Martí: acusados de assaltos a bancos e no sequestro da milionária María Edith Bordón de Debernardi, em troca de US$1 milhão. Conseguiram refúgio no Brasil graças ao petista Luiz Eduardo Greenhalgh. Arrom estaria no Paraguai, onde as autoridades “prometeram agir”.

Em família
O caso tem tudo para demorar anos: o governo paraguaio protela o pedido. Arrom é casado com uma sobrinha do presidente Lugo.

Olho no buraco
O ministério dos Transportes recebeu R$1,8 milhão para obras em diversas rodovias país afora. Agora é vigiar se tapam os buracos.

Tudo a ver
Será realizado na Câmara dos Deputados, no próximo dia 10 de dezembro, o 1º Seminário dos Palhaços Brasileiros।

Sonho meu
O senador Jarbas Vasconcelos (PMDB) sonha com uma aliança com o PT-PE। Até defendeu o ex-prefeito João Paulo, dizendo que o governo Eduardo Campos o tratou como “vagabundo, bestalhão e Zé Ninguém”.

Do site de Claudio Humberto.

sexta-feira, 27 de novembro de 2009

Anúncio usa Lula e Dilma para 'vender' papel higiênico
Criação da agência DPZ está no ar nas rádios do país. Autor diz que peça é 'tributo' ao presidente da República.
Do G1:
Começou a ser veiculada nesta quinta-feira (26), em emissoras de rádio do país, a publicidade de uma marca de papéis higiênicos que usa uma imitação da voz do presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Os criadores apostaram no humor com referências ao PAC e à ministra Dilma Rouseff para anunciar uma embalagem econômica do produto.
Criada pela agência de publicidade DPZ, a peça foi desenvolvida para a marca Neve. Nela, o humorista Beto Hora imita a voz do presidente Lula para divulgar o novo ‘Pack’ de produtos da marca. Em inglês, pack também significa "embalagem". A sonoridade da palavra lembra o nome de um dos principais projetos do governo, o Programa de Aceleração do Crescimento (PAC).
Na gravação, a “voz” de Lula diz que vai falar do pack “que vai trazer mais economia para os brasileiros” e que vai chamar a ministra “que é a maior responsável por esse sucesso”. “Ué, cadê a ministra?”, diz o “presidente”, que é seguido por uma voz feminina que grita ao fundo: “Alfredooooo”, referindo-se ao mordomo que sempre marcou as propagandas da marca de papel higiênico.
Rindo, o imitador do presidente prossegue: “vou aproveitar que a ministra está em uma conferência com o Alfredo pra falar do Pack econômico Neve com 16 rolos. Nunca antes na história desse país o povo teve tanta maciez”. Leia mais em Propaganda imita Lula e faz alusão a Dilma para 'vender' papel higiênico

Charge - Amarildo


Macaco Simão, do UOL.

Motel! Temos suítes para pedestres!
O bispo Lugo no começo da carreira eclesiástica não era seminarista, era inseminarista!
BUEMBA! BUEMBA! Macaco Simão Urgente! O esculhambador-geral da República! Direto do País da Piada Pronta!"Homem preso por agredir namorada com peru congelado." O Natal começou quente! E a placa num motel de Santo André: "Temos suítes para pedestres!". Mas eu quero a minha suíte para pedestre sem IPI. Pedestre sem IPI! E tem também aquele motel em Fortaleza: "Aceitam-se casais a pé". E adorei o novo programa de prêmios da Record: "Acerte o Preço Certo". Pensei que era pra acertar o preço errado! E o Dalcio revela o que um puxa-saco falou do filme do Lula: "Gostei de três cenas: aquela em que o senhor voa, aquela em que o senhor anda sobre as águas e aquela em que luta contra os vilões". E o meu amigo Ciro Botelho falou que o presidente do Irã veio pro Brasil ver duas coisas: o jogo do Náutico e a "Playboy" da Fernanda Young. Rarará! Duas bombas. Só falta agora a "Playboy" chamar a Geisy e reeditar a Hortência. Trio Derruba Pingolim: Fernanda Young, Geisy da Uniban e Hortência. A sem graça, a desgraça e a nem de graça. Rarará! E uma amiga me falou: "Eu não quero ver a Geisy pelada, eu quero ver o boletim da Geisy. Isso ninguém mostra". Rarará! E a piada pronta da chamada do UOL: "Leilão de velharias no Senado". Então não precisa mais cassar ninguém. Acabou o Senado. Estão leiloando "bens usados e velhos, considerados desnecessários": Sarney, Temer, Arthur Virgílio. E aquele belga que todo mundo pensava que estava em coma mas não estava. Passou 23 anos ouvindo e vendo tudo, mas sem poder falar. "Eu sei o que é isso, fiquei casado por um período igual", disse o meu vizinho. Rarará! E PAIRAGUAI Urgente! A volta do bispo Lugo. Tá sofrendo processo pela quarta paternidade. Bispo Papão. No Paraguai ele já tá sendo chamado de LUGO MAU. Come até a vovozinha! Tá melhor que o Zé Mayer! O bispo Lugo no começo da carreira eclesiástica não era seminarista, era INSEMINARISTA! E sabe como se chama dar uma rapidinha no Paraguai? LUGO LUGO! Vou dar um lugo lugo! E volto lugo. Rarará! É mole? É mole, mas sobe! Antitucanês Reloaded, a Missão. Continuo com a minha heroica e mesopotâmica campanha Morte ao Tucanês. Acabo de receber mais um exemplo irado de antitucanês. É que em Vitória da Conquista, Bahia, tem um motel chamado Deus Dará! Ueba! Mais direto, impossível. Viva o antitucanês! Viva o Brasil! E atenção! Cartilha do Lula. Mais um verbete pro óbvio lulante. "Colombiano": companheiro que só usa terno da Colombo! simao@uol.com.brFolha de S. Paulo, 27 de novembro de 2009

Sponholz


Governo Lula manda espião para Buenos Aires
A Casa Civil e o Gabinete de Segurança Institucional da Presidência da República publicaram ato, no Diário Oficial, designando um servidor, identificado apenas pela matrícula nº 21195, como “Adido Civil” à embaixada do Brasil em Bueno Aires. Esse artifício objetiva proteger a identidade dele, espião da Abin, a Agência Brasileira de Inteligência. Desta vez, a identidade do agente 21195 foi preservada.

Contra-espionagem
Em 2007, acabou mal a revelação do agente da Abin em Caracas: seu quarto de hotel foi revirado pela polícia secreta de Hugo Chávez.

É secreto mesmo
O governo não comenta o caso do agente 21195 para não ser obrigado a admitir que espiona um governo amigo, como o de Cristina Kirchner.

Ato de traição
Nos Estados Unidos, a divulgação do nome de um agente secreto é considerado ato de traição à pátria. E dá cadeia.

Bem pago
O cargo de adido civil na Embaixada do Brasil em Bueno Aires tem peso diplomático e rende salários de cerca de US$ 10 mil por mês।

Do site de claudio humberto.

segunda-feira, 23 de novembro de 2009


Macaco Simão, do UOL.

Terror! Dilma em "Lula Nova"!
E posso fazer uma pergunta pra Geisy? Quando ela vai lavar aquele vestido rosa?!
BUEMBA! BUEMBA! Macaco Simão Urgente! O esculhambador-geral da República! Direto do País da Piada Pronta! Fernanda Young diz que se arrependeu de ter posado nua. Kibeloco: "Imagine quem comprou a revista". E diz que o Palmeiras tá como guaraná de dois litros, chega na metade, acaba o gás! E posso fazer uma pergunta pra Geisy da Uniban? Quando ela vai lavar aquele vestido rosa?! Acho que se lavar, encolhe. Ou seja, desaparece.E o megassucesso filme de vampiro "Lua Nova"? Diz que vão fazer uma versão 2010: "LULA NOVA"! Com a Dilma no papel de vampira! Filme de terror. "Lula Nova"! Depois de "Lula, o Filho do BARRIL"! E mais um: "2 Filhos do FHC". E aquele filho do FHC com a jornalista da Globo podia voltar pro Brasil e pegar uma ponta em "Malhação". E o Lula extradita ou não extradita o terrorista italiano?! O único italiano que o Lula odeia é o Paolo Rossi. Que tirou o Brasil da Copa de 82. E o único italiano que a gente ama é o Baggio. Que errou o pênalti e viramos tetra. E o único italiano que eu amo é o Armani! E uma amiga disse que o único italiano que ela ama é qualquer italiano. Extradita pra cá que eu boto em prisão domiciliar. E tão dizendo que o Lula devia extraditar o Sarney! Quero ver o Berlusconi aguentar. E eu já disse por que o PT não quer extraditar o Battisti. Ele é da facção Proletários Armados pelo Comunismo, PAC! É pai do PAC! E Lula é o Filho do Barril! E tá bombando no YouTube o vídeo da Valeria Mattos, "KOMBI BRANCA"! "Fuscão Preto", "No Meu Crossfox" e, agora, "Kombi Branca". Terrorismo da Volks! Comentário de um cara: "Sabe de quem é a culpa? Das Lojas Americanas, que insistem em vender câmera digital em dez vezes. Maldita inclusão tecnológica". E outro: "Quero saber se ela tem mais músicas como fusca preto, brasília amarela e mais latas velhas". Boa ideia. Vou gravar o clipe "Minha Lata Velha". E jogar no YouTube. É mole? É mole, mas sobe! Ou, como disse o outro: é mole, mas trisca pra ver o que acontece! Antitucanês Reloaded, a Missão. Continuo com a minha heroica e mesopotâmica campanha Morte ao Tucanês. Acabo de receber mais um exemplo irado de antitucanês. É que em Contendas do Sincorá, na Bahia, tem um inferninho chamado Matéria Paga! Ueba! Mais direto impossível. Viva o antitucanês. Viva o Brasil E atenção! Cartilha do Lula. O Orélio do Lula. Mais um verbete pro óbvio lulante. "Hecatombe": um monte de companheiro numa kombi! Branca. O lulês é mais fácil que o ingrêis. Nóis sofre, mas nóis goza. Hoje só amanhã. Que eu vou pingar o meu colírio alucinógeno. simao@uol.com.brFolha de S. Paulo, 21 de novembro de 2009
Frases de Lula levam ‘desânimo’ ao PMDB pró-Dilma
Presidente disse não ter ‘ilusão’ sobre os acertos estaduais
Declarou ser ‘difícil’ fazer comício em palanques diferentes
Cúpula pemedebê recebeu os comentários com o ‘pé atrás’
Em reunião com PT, aliado cobrará ‘solidariedade regional’


As cúpulas do PT e do PMDB se reúnem nesta quarta (25), em Brasília. Vão à mesa as pendências que condicionam o fechamento da aliança para 2010.

São querelas regionais, que dificultam a reprodução nos Estados da parceria nacional em torno da presidenciável oficial Dilma Rousseff.

Será o segundo encontro do gênero. No primeiro, realizado há duas semanas, os desacertos foram tratados a golpes de barriga.

Os negociadores do PT alegaram que era preciso aguardar o resultado da eleição interna que renovaria as direções do partido –a nacional e as estaduais.

A eleição petista ocorreu neste domingo (22). Espera-se que os resultados, ainda não proclamados, venham à luz antes da reunião de quarta.

No plano nacional, a virtual eleição de José Eduardo Dutra para a presidência do PT serve aos planos de Dilma. Dutra defende a aliança com o PMDB.

É nos Estados que se concentram os problemas. A depender do pronunciamento das urnas petistas, a composição com o PMDB pode evoluir para a encrenca.

Ao votar, Lula fez declarações que impregnaram de desânimo o naco do PMDB que negocia o apoio a Dilma.

O blog conversou com três grão-pemedebês com assento no comitê negociador. Queixaram-se do comportamento do presidente. O que disse Lula? Em essência, duas coisas:

1. "Eu não tenho mais ilusão quando se trata de disputas locais. Por mais que a gente oriente as pessoas de que o que deve prevalecer é o projeto nacional, normalmente o que tem acontecido é que cada um olha para o seu umbigo e prevalecem as questões dos Estados".

2. “É sempre difícil quando uma candidata à Presidência ou um candidato vai num Estado fazer comício em dois palanques diferentes. É sempre muito complicado, parece fácil colocar no papel, muito simples teorizar, mas, na prática, você não tem como fazer dois discursos pedindo votos para dois candidatos diferentes”.

Ouça-se um dos pemedebês que conversaram com o repórter: “O presidente falou como se lavasse as mãos numa hora em que deveria arregaçar as mangas”.

Lembrou de uma reunião ocorrida no escritório da Presidência da República, em São Paulo, há coisa de quatro meses.

Nesse encontro, Lula dissera a líderes do PMDB e do PT que cuidaria pessoalmente de aparar as quinas que se insinuam em alguns Estados.

Mencionara o Rio. Ali, empurraria o PT para dentro da coligação reeleitoral de Sérgio Cabral (PMDB). Conteria os arroubos do petista Lindberg Farias, fazendo-o desistir da candidatura ao governo e acomodando-o na disputa para o Senado.

Citara o caso de Minas Gerais. Acenara com o prestígio ao ministro Hélio Costa, candidato do PMDB à sucessão de Aécio Neves. Pedira paciência.

Alegara que era preciso aguardar novembro, para saber quem prevaleceria no diretório do PT mineiro –se o grupo de Fernando Pimentel ou o de Patrus Ananias, ambos candidatos ao governo estadual.

Lula falara, de resto, da encrenca de Mato Grosso do Sul. Assegurara que Zeca do PT não seria pedra no sapato de André Puccinelli, candidato do PMDB à reeleição.

“O tempo passou e o presidente não interveio em nenhuma das disputas”, queixou-se o segundo pemedebê ouvido pelo repórter. “O Lindberg continua candidato, o Fernando Pimentel desconhece o Hélio Costa e o Zeca do PT empurra o Puccinelli para o palanque do Zé Serra...”

“...E, numa hora dessas, o presidente Lula vem dizer que ‘não tem mais ilusão’! Ora, não se trata de ter ou não ter ilusão. Trata-se de fazer política. Não se pode perder de vista que o nosso pré-acordo depende de aprovação numa convenção composta por delegados que vem dos Estados”.

Hoje, o PMDB pró-Dilma julga ter maioria na convenção, que ocorrerá em junho. Mas receia que, perdendo dois Estados –MS e MG, por exemplo—a maioria pode ir para as cucuias.

Para complicar, representantes de 15 diretórios do PMDB firmaram, no sábado (21), uma moção em defesa da candidatura própria. Mais: o governador Roberto Requião foi lançado como candidato do PMDB à Presidência.

O terceiro grão-pemedebê que falou ao repórter disse que, entretido com o jogo Flamengo X Goiás, ainda não havia lido as declarações de Lula. Estranhou o relato do repórter acerca da menção aos dois palanques.

Lembrou que o PMDB comparecerá às urnas da Bahia com a candidatura do ministro Geddel Vieira Lima, contra o projeto reeleitoral do petista Jaques Wagner. No caso baiano, o PMDB exige a efetivação da política do palanque duplo. Algo “muito complicado”, no dizer de Lula.

O tucano José Serra não está alheio à encrenca. Na semana passada, Geddel foi a São Paulo, para um seminário da área da defesa civil. Serra comprometera-se a dar as caras. Mas não foi.

Depois, a pretexto de explicar-se sobre a ausência, o presidenciável tucano chamou Geddel para uma conversa privada. Lero vai, lero vem, falaram sobre 2010. Geddel não deu esperanças a Serra. Ao contrário. Foi taxativo quanto aos compromissos que o ligam a Dilma. Depois, relatou o encontro a Lula.

O diabo é que a fidelidade de Geddel ao pré-acerto com o PT está condicionada à efetivação do duplo palanque na Bahia, lembrou o pemedebê ao repórter. São essas as encrencas que vão à mesa na reunião de quarta. O PMDB cobrará do PT um pingo de "solidariedade regional".
Escrito por Josias de Souza às 05h51

Sponholz


Perguntar não morde
Juntar a ministra Dilma Rousseff e Cobra Coral numa audiência exige soro antiofídico?

Estilo rude de Dilma preocupa partidários
O afastamento sumário de um técnico da Infraero mostra o estilo rude da ministra Dilma Rousseff (Casa Civil), que tanto preocupa o PT, quando lida com subordinados. Mário Brio, servidor da estatal, integrava o grupo que estuda ações com vistas à Copa do Mundo de 2014. “Rainha do Power Point”, programa de computador preferido de palestrantes, Dilma detestou a exposição do funcionário, e o fulminou.

Escreveu, não leu...
Certa vez, diante de assessores e quatro ministros, Dilma humilhou um casal de advogados da BR Distribuidora, expulsando-os da reunião.

...o pau comeu
A ministra ligou para o presidente da BR, reclamou da “incompetência” dos advogados, desligou e ordenou: “Vocês dois, sumam daqui!”

do site de claudio humberto.

Lula torcia para que o STF o obrigasse a extraditar o terrorista
O presidente Lula está confuso em relação ao caso Cesare Battisti. Ele contou a um amigo haver recebido a garantia do Supremo Tribunal Federal de que a “bomba” não seria colocada em seu colo. Era o que queria, para dar uma satisfação a radicais ligados ao PT do ministro Tarso Genro (Justiça). Um advogado levou a ele o recado do STF: haveria a “vinculação” da sentença à obrigatoriedade em cumpri-la.

Estava decidido
Na Itália, Lula disse que cumpriria a decisão do STF. Era a senha para que o STF decretasse a vinculação. Mas a malandragem prevaleceu.

A jogada
om sua decisão, o STF se livrou do ônus de extraditar o bandidão e devolveu a Lula o problema criado pelo seu ministro da Justiça।

do site de claudio humberto.

Sponholz


domingo, 15 de novembro de 2009

PSDB deve usar o apagão em sua publicidade na TV

PT cogita revidar com Rodoanel e racionamento de FHC

Nesta segunda (16), o PSDB vai tomar uma decisão que pode desencadear uma guerra televisiva com o PT.

O tucanato cogita levar o apagão à sua propaganda partidária. O petismo esboça, nos subterrâneos, o revide.

Em dezembro, as duas legendas terão dez minutos cada uma no horário nobre da televisão. Sem contar um lote de inserções de 30 segundos.

Inicialmente, os tucanos haviam planejado usar a maior parte do tempo que lhe cabe para propagandear seus dois presidenciáveis: José Serra e Aécio Neves.

Porém, o apagão da última terça (10), que espalhou o breu por 18 Estados, provocou um rebuliço na legenda.

O senador Sérgio Guerra (PE), presidente do PSDB, passou a administrar uma pressão para que o apagão vire tema da publicidade partidária.

O PSDB dividiu-se em dois. Os dois grupos concordam com a tese de que é preciso energizar a propaganda. Porém...

Porém, um pedaço do partido cobra exploração agressiva. E outro naco da legenda advoga a tese de que o tema deve ser abordado com comedimento.

Em telefonemas trocados desde sexta-feira (13), integrantes da cúpula do partido buscavam o meio termo entre as duas posições.

Pretende-se bater o martelo nesta segunda (16). Prevalecendo a maioria, o tucanato terá de refazer algumas peças que já haviam sido filmadas antes do apagão.

Quanto ao PT, havia a decisão de converter a presidenciável Dilma Rousseff em estrela da propaganda partidária.

O presidente do partido, Ricardo Berzoini (SP), hesitara. Receava que a superexposição de Dilma pudesse resultar em punição da Justiça Eleitoral.

Pela lei, a janela eletrônica de dezembro destina-se à publicidade institucional do partido, não à propaganda eleitoral.

A movimentação do PSDB acendeu no PT um debate, por ora incipiente, sobre a conveniência de retemperar o programa.

Para se contrapor aos ataques tucanos, o petismo pode realçar em suas peças os infortúnios elétricos da era FHC, tisnada por dois apagões, em 1999 e 2001.

Um deles, o de 2001, impôs aos consumidores um racionamento de cerca de oito meses. O PT cuidaria de realçar as diferenças.

O apagão de Lula seria vendido como acidente de percurso. Os de FHC seriam caracterizados como “barbeiragem”, falta de planejamento, incúria gerencial.

De resto, o petismo ameaça fazer um carnaval com a queda de três vigas num viaduto do Rodoanel, obra prioritária da gestão de José Serra.

Para o PT, se insistir na declaração de guerra, o PSDB tem mais a perder. O tucanato parece discordar. Avalia que ninguém perde mais do que Dilma Rousseff.

Os tucanos escoram-se no fato de que, antes de virar chefe da Casa Civil, Dilma comandou a pasta de Minas e Energia.

Foi sob Dilma que o sistema de geração e distribuição de energia fora reordenado.

No dizer de um grão-tucano, “o apagão caiu como um raio sobre a fama de boa gerente de que desfrutava Dilma”.

Dentro do próprio governo, avalia-se que foi um erro a tentativa de distanciar do apagão. Num primeiro momento, a ministra sumiu do mapa.

Quase 48 horas depois, deu uma entrevista que foi considerada desastrosa. Fustigada pelos repórteres, soou destemperada.

Endossou a tese de que chuvas, ventos e raios produziram o blecaute. Deu o caso por “encerrado”.

Menos de 24 horas depois, Lula diria que era preciso aguardar pelo término das apurações. Sob pena de incorrer em “achismo”.

São esses desencontros que o PSDB deseja realçar. Dependendo do tom, a coisa será recebida pelo PT como uma declaração de guerra.
Escrito por Josias de Souza
Enviado por Ricardo Noblat
Vinte anos depois do Lula-lá, Lula, Collor e Sarney juntos
A eleição presidencial de 1989 foi marcada por agressões e ataques pessoais dos três principais personagens: os candidatos Fernando Collor de Mello (PRN), que seria eleito presidente, Luiz Inácio Lula da Silva (PT), que ficou em segundo lugar, e o então presidente da República, José Sarney.
Era ladrão para lá, corrupto para cá e ditador de opereta para acolá. Collor ameaçava pôr os corruptos do governo Sarney na cadeia, se eleito. Sarney processou Collor por injúria e difamação. No calor da campanha, o alagoano xingou Lula de cambalacheiro. Foi eleito e não botou ninguém na cadeia. Acabou ele próprio apeado do cargo após dois anos de poder.
Depois de 20 anos, com Lula na Presidência, os três arqui-inimigos políticos transformaram-se em aliados em torno da base do governo petista, o que surpreendeu até os governistas, mostra reportagem de Gerson Camarotti e Maria Lima, publicada neste domingo pelo jornal O GLOBO.
As declarações de cada um para justificar a repentina amizade se baseiam na alegação de que todos foram alvo de campanhas difamatórias e injustiças. Outra argumentação é que não foram eles que mudaram, mas o tempo e a política. De forma reservada, interlocutores de Lula dizem o que mais mudou nessas duas décadas: o pragmatismo e a necessidade de governabilidade. Leia mais em: Vinte anos depois do Lula-lá, Lula, Collor e Sarney estarão juntos na campanha eleitoral
Enviado por Ricardo Noblat - Deu em O Globo
Páreo duro
De Elio Gaspari:
Quem sabe ler pesquisa e examinou os números da Vox Populi (36% para Serra e 19% para Dilma) acha que, em condições normais de temperatura e pressão, entre o final de janeiro e o início de março, os dois estarão emparelhados.
Serra x Aécio
Prospera num pedaço do empresariado a ideia de que é melhor perder a sucessão presidencial com Aécio Neves do que ganhá-la com José Serra. A manobra nasceu no poço de rancor que a ekipekonômica de Fernando Henrique Cardoso cultiva em relação a Serra. Desse núcleo propagou-pela pela banca e pela turma do papelório. A conta é simples: "Se ganharmos com Aécio, acertamos na loteria. Admitindo-se que para nós tanto faz Dilma como Serra, trocamos um jogo de perde-perde por outro de perde-ganha."
FRASE DO DIA
“Essa questão do clima é delicada por quê? Porque o mundo é redondo. Se o mundo fosse quadrado ou retangular...”Lula, sobre o apagão

Estréia
A primeira-dama do DF, Flávia Arruda, estréia como apresentadora de tevê neste domingo, às 10h, na Band Brasília. Ela está à frente do programa Nossa Gente, que conta histórias de pessoas que mudaram uma dura realidade através de programas sociais.

Impasse fiscal
Empresários e comerciantes do Rio vão à Justiça contra o prazo inferior a dois meses para entregar o arquivo magnético de cupom fiscal à secretaria de Fazenda. O equipamento exigido custa uma baba.

Novo turismo
O ministro do Turismo israelense, Stas Misezhnikov, assinou um acordo de cooperação em sua área com o governo brasileiro. A ideia é facilitar o trânsito de brasileiros de israelenses entre os dois países.

Protesto
A petroleira Edilene Farias prometeu deitar num caixão na Transpetro, centro do Rio, após ter sido demitida por justa causa “por denegrir a imagem da empresa e abandono de emprego”. Para a estatal, tem “alergia hereditária” e não foi contaminada por benzeno, como alega.

Aviso do céu
A médium Adelaide Scritori enviou ao Planalto aviso do cacique Cobra Coral, o dos ventos e tempestades: pode haver outro apagão em 43 dias. Mandou um relatório reservado ao Ministério das Minas e Energia.

Pensando bem...
...o último a sair deixe ao menos uma luz acesa.

do site de claudio humberto.

Sponholz


Pará: caso da menina presa não tem culpados
Há dois anos uma menina de 15 anos foi presa no Pará “por suspeita de roubo” e mantida por 26 dias em uma cela com cerca de 20 homens onde sofreu todos os tipos de abuso. Os envolvidos não sofreram qualquer punição e até o delegado-geral, Raimundo Benassuly, que foi afastado e apontado como responsável à época, foi reconduzido ao cargo pela governadora petista do Pará, Ana Júlia Carepa.

Absurdo
O delegado Raimundo Benassuly até disse que a menina teve uma “parcela de culpa” no caso e parecia ter “alguma debilidade mental”.

Hediondo
Durante 26 dias, a menina sofreu abusos sexuais em troca de comida, foi espancada, queimada e teve os cabelos cortados com navalha.

Consequências
A única ação do governo petista do Pará foi colocar a adolescente em um programa de proteção de testemunhas. Mudou de nome e cidade.

Eu vigio, tu vigias
Indiciado com o ex-ministro Humberto Costa e outros 40 na “máfia dos vampiros”, de desvios na Saúde, Aloisio Alves de Matos agora é gerente de portos e aeroportos da Agência Nacional de Vigilância Sanitária.

Ele toma posse
A Anvisa não vê “ilegalidade” na nomeação de Matos, funcionário de carreira। Rebate com o velho argumento da “presunção de inocência” e que é “preciso aguardar” o processo judicial. É livre e desimpedido.

do site de claudio humberto.

Governo despreza possível sabotagem do MST no apagão
Apesar das ameaças e até do histórico recente do MST, o “Movimento dos Trabalhadores Sem Terra”, que há dois anos teria dinamitado uma torre de transmissão no Sul, o presidente Lula se recusa a admitir a hipótese de terrorismo ou sabotagem, no apagão desta semana. Como o MST é aliado do governo, seria constrangedor para o presidente descobrir que os porraloucas aloprados do MST provocaram o apagão.

Norte e Sul
Enquanto partes do Sul, Sudeste e Centro-Oeste e Recife estavam às escuras, a derrubada de uma torre deixou 18 cidades do Pará sem luz.

Vale a versão
Fonte do Ministério de Minas e Energia afirma que o governo ainda não sabe o motivo do apagão. Mas aprecia a versão improvável de “raio”.

A Deus pertence
As grandes empresas brasileiras exportadoras de commodities, como minério de ferro e aço, ligaram o desconfiômetro com o apagão।

Lunáticos
A Nasa descobriu água na Lua। O problema são as linhas de transmissão: chegar ao Brasil é longe à beça. Com raio, então...

do site de claudio humberto.

Sponholz


Macaco Simão, do UOL.

Ueba! Bibas fazem o apagay!
As causas do apagão são tempestade, raio e temporal. A Dilma agora é Dilma Furacão!
BUEMBA! BUEMBA! Macaco Simão Urgente! O esculhambador-geral da República! Direto do País da Piada Pronta! Piada Pronta URGENTÍSSIMA! De Pelotas, Rio Grande do Sul: "Os convites para o show da Ana Carolina no dia 22 de novembro estão à venda na loja SAPATARIA!". E o adesivo no carro: "Domingueira Chique! Bonde Tesão! As Panteras do Funk!". Onde? Na PRAÇA DA BÍBLIA!E as bibas não esmorecem nem no escuro. Aliás, muito menos no escuro. Vão promover uma festa: Grande Noite do Apagão! APAGAY! E só entra RAPAGÃO?! E o adesivo no carro da Madonna no apagão: "Só Jesus é a Luz!". E os cariocas falam: "Quando é que a Madonna vai embora, hein?!". O Brasil quer saber: quando é que a Madonna vai embora?! E a Loira da Uniban? Diz que vai posar pra "Playboy". O quê? Depois da Fernanda Young?! Aquele véio dono da "Playboy" vai se atirar da cobertura. De desgosto! "Meu Deus, eu fundei a "Playboy" pra isso?" Playbaranga! E a chamada: "Veja o que os estudantes da Uniban não quiseram ver!". Esses UNIVERSOTÁRIOS sofrem das faculdades mentais! E o governo diz que as causas do apagão são três: raio, temporal e tempestade. Então o nome da Dilma agora é Dilma Furacão! Não tem a Hilda Furacão? Agora é DILMA FURACÃO! E sabe o que um amigo me perguntou? Se o Lobão é ministro de Minas e Energia, o Leo Jaime é ministro de quê? E a melhor camiseta: "Apagão 2009! EU TWITTEI!". O Palmeiras é a bandeira do Brasil: é verde, joga de azul, deu um branco e, no final, amarelou! E muita gente ficou de mau humor no apagón. Mas o cúmulo do mau humor é o portão desse cara: "Se você for político de qualquer partido, crente de qualquer religião, vendedor de qualquer caralho, faz favor de não bater na porra desse portão". Esse bateu o recorde do mau humor. É mole? É mole, mas sobe! OU, como disse aquele outro: é mole, mas trisca pra ver o que acontece. Antitucanês Reloaded, a Missão! Continuo com a minha heroica e mesopotâmica campanha Morte ao Tucanês. Acabo de receber mais um exemplo irado de antitucanês. É que em Porto de Galinhas tem o restaurante Madrugão. "O pior galeto de Porto de Galinhas, ruim mesmo é a pizza!" Deve ser um sucesso! Mais direto impossível. Viva o antitucanês! Viva o Brasil! E atenção! Cartilha do Lula. O Orélio do Lula. Mais um verbete pro óbvio lulante. "Apagão": companheiro que puxou neurônio da tomada. O lulês é mais fácil que o ingrêis. Nóis sofre, mas nóis goza. Hoje só amanhã. Que eu vou pingar o meu colírio alucinógeno. E quem fica apagado é poste! simao@uol.com.brFolha de S. Paulo, 14 de novembro de 2009

sábado, 14 de novembro de 2009

Enviado por Ricardo Noblat - Deu na Veja
Teoria da conspiração
Ao afirmar que o mensalão foi um "golpe" para derrubá-lo, Lula distorce a realidade e dá um salvo-conduto para a volta dos mensaleiros do PT
De Otávio Cabral:
No que depender do presidente Lula, a história do mensalão – o esquema de corrupção montado no governo dele para subornar parlamentares com dinheiro desviado dos cofres públicos – será integralmente reescrita. Na nova versão, o PT, o governo, os deputados e o próprio presidente da República teriam sido vítimas de uma terrível conspiração planejada e executada pela oposição.
Marcos Valério, aquele publicitário mágico que fazia aparecer dinheiro no caixa do partido, seria um sabotador a serviço dos inimigos. O escândalo do mensalão foi o momento mais dramático enfrentado por Lula em sete anos de governo. Seus principais assessores caíram por corrupção e respondem a processo por formação de quadrilha. Acuado, o presidente chegou a ser aconselhado por aliados a desistir da reeleição em troca da preservação de seu primeiro mandato.
Lula conseguiu contornar a crise, reeleger-se e tornar-se o presidente mais popular da história. Agora, quer aproveitar a onda para limpar também a mancha na biografia. Em entrevista a um programa político da RedeTV!, o presidente disse que o mensalão foi uma tentativa de golpe: "Foi a maior armação já feita contra o governo".
Reescrever a história é uma tentação muito comum de governos autoritários. Em democracias, a tarefa é um pouco mais complicada. Não basta repetir uma versão amalucada qualquer para transformá-la em verdade. Perguntado sobre os detalhes da teoria da conspiração, o presidente diz que vai se inteirar do assunto apenas depois de deixar o Planalto. Vai ser uma investigação histórica interessante.
Que conspiração levaria um banco a abrir uma agência em Brasília apenas para atender parlamentares de diversos partidos? Que conspiração obrigaria parlamentares a formar filas no caixa desse banco para receber dinheiro vivo, sem origem conhecida? Que conspiração faria com que o PT aceitasse espontaneamente que a campanha de Lula fosse paga pelo "espião Valério" com recursos depositados em contas clandestinas no exterior?
Se o presidente Lula não sabia de nada sobre o mensalão, como sempre garantiu, ele foi realmente vítima de um golpe, mas um golpe conduzido pelos seus próprios companheiros de partido e aliados políticos.
O deputado José Genoíno era o presidente do PT e assinou os contratos que serviram de fachada para justificar o dinheiro do mensalão. O deputado João Paulo Cunha era presidente da Câmara e foi o responsável por introduzir Marcos Valério nas hostes petistas. Os dois estão entre os quarenta réus do processo que corre no Supremo Tribunal Federal, acusados de corrupção ativa e passiva, peculato, lavagem de dinheiro, crimes contra o sistema financeiro, evasão de divisas e formação de quadrilha.
Mas, no mundo de Lula, são vítimas de uma conspiração dos tucanos. Assim, tocam sua vida e hoje são deputados influentes da base governista e na campanha de Dilma Rousseff. Perderam o status, mas não o poder. Agindo nos bastidores, João Paulo e Genoíno continuam no centro das principais articulações que envolvem o governo e a sucessão presidencial.
A dupla também tem planos de resgate da própria biografia. Genoíno, que disse ter assinado sem ler o contrato do mensalão, trabalha para ser o líder da bancada do PT em 2010. João Paulo, que mandava a própria esposa entrar na fila da agência do banco do mensalão e ainda disse que ela ia lá para pagar a conta da TV por assinatura, quer voltar à presidência da Casa em 2011.
Ambos já foram tratados como injustiçados pelo presidente. Em sua tentativa de escrever a história ao seu modo, Lula desmente até a pessoa em quem mais confia – Gilberto Carvalho, seu chefe de gabinete. Em entrevista a VEJA, em 2008, Gilberto revelou como Lula foi aconselhado a abrir mão da reeleição em troca da manutenção de seu mandato. Lula disse que jamais recebeu tal proposta.
Enviado por Ruy Fabiano - artigo
Lula e o golpe do Mensalão
Em entrevista à Rede TV!, gravada na quarta-feira, Lula voltou a fustigar Fernando Henrique Cardoso, com quem pretende polarizar os debates da sucessão do ano que vem.
Disse, ao comentar o artigo do ex-presidente, publicado há duas semanas – e que o acusa de promover um “subperonismo” no Brasil -, que ele, FHC, é “um poço de mágoas” e que tem “inveja” dele, Lula, por não ter obtido sua performance quando no governo. Nada que já não tenha sido dito antes à exaustão.
A novidade foi a reação do presidente diante de tema que lhe é profundamente incômodo: o Mensalão. Antes, limitava-se a dizer que não sabia de nada. Agora, simplesmente nega sua existência.
Diz que foi uma tentativa de golpe de Estado. Mas cai em contradição ao dizer ao repórter que, por ser presidente, não pode “ficar futucando” e só vai se inteirar “um pouco mais disso” quando deixar o cargo, a partir de janeiro de 2011.
Deixemos de lado o fato de que é dever de um presidente (e não de um ex-presidente) “futucar” tudo aquilo que diz respeito ao erário e ao interesse público.
Fiquemos na contradição: se não está inteiramente a par do que ocorreu (porque não pode ficar “futucando”), como pode afirmar que o Mensalão simplesmente não existiu?
Das duas, uma: ou não sabe o que aconteceu – e nesse caso tem que considerar a hipótese da existência concreta do Mensalão – ou sabe e, aí, sim, pode negá-lo. Mas não basta fazê-lo.
Precisa tomar providências contra o Ministério Público, que não apenas afirma a existência do Mensalão como o atribui a uma “organização criminosa”, que teria como comandante ninguém menos que o então mais próximo auxiliar do presidente, o chefe da Casa Civil, José Dirceu – demitido, aliás, exatamente em função das denúncias que o presidente hoje diz serem falsas.
O processo está no Supremo Tribunal Federal, que aceitou as evidências do que o presidente diz não ter existido e cujo propósito teria sido tão-somente derrubá-lo.
Nesse caso, é preciso responsabilizar como golpistas não apenas o Ministério Público, que fez a denúncia, como o STF, que a acolheu, além de entidades como a OAB, que chegou a examinar a hipótese de impeachment em 2006, e optou por transformá-la em notícia-crime à Procuradoria Geral da República.
Portanto, negar o Mensalão – pior: transformá-lo em manobra golpista – envolve mais que incontinência verbal: implica denunciar e punir os que engendraram a mentira.
Na mesma entrevista, outra novidade: Lula insinua responsabilidade na farra do Mensalão (afinal, existiu ou não?) ao PSDB, lembrando que Marcos Valério “não vem do PT, vem de outras campanhas”, numa alusão explícita ao Mensalão mineiro, que envolveu o senador tucano Eduardo Azeredo e que está sob julgamento no STF.
Ora, o crime atribuído a Azeredo não justifica nem atenua nenhum outro, anterior ou posterior.
Se o PSDB mineiro serviu-se Valério antes do PT nacional, o que importa não é a precedência, mas os delitos propriamente ditos.
O que une e equipara os dois episódios é a irregularidade no uso do dinheiro público. O que os distingue são as proporções. E o que chama a atenção é que, no espaço de uma única entrevista, o presidente afirma e nega a existência do Mensalão, conforme possa servir a seu raciocínio.
The Economist
Quase simultaneamente com o apagão, começou a circular a edição de The Economist, bíblia dos investidores, que coloca o Brasil nas alturas.
A revista, no entanto, em vez de falar de herança maldita do governo anterior, sublinha inversamente seu caráter benéfico.
Eis sua conclusão: “Lula está certo ao dizer que seu país merece respeito, como ele merece muito da adulação que tanto o agrada. Mas ele é também um presidente de sorte, colhendo o resultado do boom das commodities e governando numa plataforma de crescimento construída por seu antecessor, Fernando Henrique Cardoso. Manter essa boa perfomance num mundo que enfrenta tempos difíceis significa que o sucessor de Lula terá de tentar resolver alguns problemas que ele fez questão de ignorar (...)”.
Nada a ver com o teor plebiscitário que se desenha para a campanha sucessória.

Ruy Fabiano é jornalista

Charge - Amarildo


Pensando bem...
...a candidatura da ministra Dilma está apagadinha, apagadinha...

Chama o Ahmadinejad
O Greenpeace denunciou que dia 28 de outubro vazaram 30 mil litros de urânio da mina da Indústrias Nucleares do Brasil em Caetité (BA), que abastece Angra I e II. Teme-se água contaminada.

Alvo olímpico
Até o jornal Telegraph Herald, da pequena cidade de 57 mil habitantes Dubuque, Iowa (EUA), questiona o apagão no Brasil. E ainda indaga se o Brasil tem competência para sediar as Olimpíadas de 2016, no Rio.

Quatro cavaleiros
As quatro ações de empresas brasileiras mais recomendadas para a compra na Bolsa de Nova York são: Petrobras, Gafisa, Pão de Açúcar e a Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo।

do site de claudio humberto.

Vox Populi: Aécio na frente pela primeira vez
Pesquisa espontânea do instituto Vox Populi mostra o governador de Minas, Aécio Neves (PSDB), pela primeira vez à frente dos rivais. À pergunta “qual o seu candidato a presidente”, feita a dois mil eleitores em todo o Brasil, 13% citaram espontaneamente Lula, Aécio 11%, José Serra (PSDB) 10%, Dilma Rousseff (PT) 6%, Ciro Gomes (PSB) 3%, Marina Silva (PV) 2%, Heloisa Helena (PSOL) 1% e Não sabem 53%.

Pesquisa recente
A pesquisa do instituto Vox Populi, que será divulgada pela revista IstoÉ deste fim de semana, foi fechada no último dia 2.

Recall
Aécio Neves não ficou surpreso com a pesquisa Vox Populi. Ele disse que tem recebido “um recall impressionante” de sua pré-candidatura.

Velha de guerra
O marketing Dilminha paz e amor apagou de vez: respondeu com um irritado "minha filha" à pergunta de uma repórter de TV sobre o apagão.

Que apagão?
O apagão surpreendeu de férias, em Barcelona, o presidente do ONS, o Operador Nacional de Sistemas। E ele continua se fingindo de morto.

do site de claudio humberto.

sexta-feira, 13 de novembro de 2009

Enviado por Ricardo Noblat - deu em o globo
Lula diz que mensalão foi golpe da oposição
Valério teria sido infiltrado no PT, afirma. DEM e PSDB rebatem: ‘Ele está com Alzheimer político’
De Maria Lima:
A oposição reagiu com revolta ontem à acusação feita pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva de que o mensalão "foi uma tentativa de golpe" contra seu governo. Lula insinua, em entrevista que vai ao ar domingo na Rede TV, que Marcos Valério, operador do mensalão, foi infiltrado no PT por adversários. Para o líder do DEM na Câmara, Ronaldo Caiado, Lula deve sofrer de "Alzheimer político":
— No momento em que Chinaglia (Arlindo) e José Múcio (ex-ministro), além de Roberto Jefferson (presidente do PTB), declararam à Justiça que levaram o caso do mensalão ao conhecimento do presidente Lula, a tese por ele lançada de que o mensalão não existiu, que foi uma armação, mostra que ele só pode ter sido acometido de um processo de Alzheimer político!
A declaração de Lula, segundo publicado ontem no jornal "Folha de S.Paulo", foi dada ao programa "É notícia", da Rede TV!, gravado na quarta-feira:
— Foi uma tentativa de golpe no governo... Foi a maior armação já feita contra o governo. Na entrevista, Lula disse ter desconfiança da relação entre PT e Valério:
— Marcos Valério não vem do PT, vem de outras campanhas — disse, numa referência indireta à participação dele na campanha do tucano Eduardo Azeredo pela reeleição no governo de Minas.
Arnaldo Madeira (PSDB-SP) estranhou a acusação dizendo que, no auge do mensalão, PSDB e DEM foram taxados de "frouxos" por não terem patrocinado um pedido de impeachment do presidente.
— E agora ele vem falar de golpe? O Lula é um mentiroso contumaz.




UBALDO DANTAS SERÁ HOMENAGEADO EM BRASÍLIA








O ex-Deputado Federal e ex-Prefeito de Itabuna, o médico Dr. Ubaldo Dantas, receberá, do Ministro da Saúde, José Gomes Temporão, dia 18 de novembro, em Brasília, a Medalha de Mérito Oswaldo Cruz, na categoria Ouro, pelos relevantes serviços prestados à saúde do País.
.
Atualmente Conselheiro do C REMEB – conselho Regional de Medicina da Bahia, Dr. Ubaldo foi um dos “construtores” do SUS, Presidente da Comissão de Saúde da Câmara dos Deputados, além de ter sido Secretário de Saúde do Estado da Bahia, no Governo Roberto Santos.
.
Em 2008, quem recebeu a medalha de ouro foi o empresário Antônio Ermírio de Moraes, e a de prata, o médico cardiologista Roberto Kalil Filho, do Instituto do Coração (InCor) do Hospital das Clínicas (HC) da Faculdade de Medicina da USP (FMUSP).

Macaco Simão, do UOL.

Apagão? Acende a periquita!
Como disse uma amiga minha: "Não basta ser gostosa, tem que ter gerador próprio!"
BUEMBA! BUEMBA! Macaco Simão Urgente! O esculhambador-geral da República! Direto do País da Piada Pronta! ITAIFU Urgente! O Brasil inteiro já sabe a causa do apagão। Em Itaipu falaram pro estagiário: "Quando sair, desliga tudo!". PUF! APAGÃO!E o que eu tava fazendo no apagão? Subindo escada rolante parada. E recebendo mensagens pelo celular. 1) Tô com a periquita acesa! Apagão deixa as periquitas acesas. 2) Tô preso no elevador, quero dar entrevista pra TV. 3) Troco um freezer por uma maleta térmica. 4) A melhor saiu no Twitter do Kibeloco: "Calma, gente. Quando a Madonna desligar o celular, a energia volta!". Essa foi a causa do apagão: a Madonna deixou o vibrador ligado! 5) O Fluminense não apareceu com a lanterna. Rarará! 6) Vou pedir uma esfirra do Habib's pra ver se eles entregam mesmo em 28 minutos!E o que as celebridades falaram durante o apagão? Lula: "Eita, cachacinha boa, deixa a gente ceguinho, ceguinho". Zé Mayer: "Com a luz apagada é melhor, PRÓXIMA!". Angélica: "Desculpe, amor, peguei no teu nariz". Rarará! Lucianta Gimenez: "Vou ligar a TV pra me informar do apagão". Serra: "Uau, vou sugar todo seu sangue". E Dilma: "Não se assustem, sou eu, a mãe do PAC".E aquele monte de geladeira que todo mundo comprou sem IPI? Sacanagem! O Brasil inteiro comprou geladeira sem IPI e aí dá o apagão. Inveja de gerador próprio. Como disse uma amiga: "Não basta ser gostosa, tem que ter gerador próprio!".E o ministro de Minas e Energia? O Trapagão! Mistura de trapalhão com apagão! E ele se chama Lobão. Então, devia ficar com a luz da lua cheia. Rarará! E eu sei o que o governo vai falar: "Todo mundo comprou tanto eletrodoméstico sem IPI que acabou dando apagão. Todo mundo ligou a geladeira ao mesmo tempo. E explodiu Itaipu!". Rarará!E adorei as chamadas dos sites: "Veja as fotos do apagão". Rarará! É mole? É mole, mas sobe! OU como disse aquele outro: é mole, mas trisca pra ver o que acontece!Antitucanês Reloaded, a Missão. Continuo com a minha heroica e mesopotâmica campanha Morte ao Tucanês. Acabo de receber mais um exemplo irado de antitucanês. É que em Araçatuba tem uma madeireira chamada Madeiras Irmãos Pintão. Rarará! Mais direto, impossível! Viva o antitucanês! Viva o Brasil!E atenção! Cartilha do Lula. O Orélio do Lula. Mais um verbete pro óbvio lulante. Hoje não tem. O Lula ficou com a língua presa no elevador. O lulês é mais fácil que o ingrêis. Nóis sofre, mas nóis goza. Hoje só amanhã. Que eu vou pingar o meu colírio alucinógeno. E quem fica apagado é poste.

simao@uol.com.brFolha de S. Paulo, 12 de novembro de 2009

LUIS EDUARDO QUER FALAR COM ACM JR.


Foto: Tiago Melo/

Luiz Bassuma recebeu a missão espiritual
O deputado federal Luiz Bassuma (PV) esteve na redação do Bahia Notícias ontem para um bate-papo com a equipe de redação. Ele falou sobre a trajetória política, saída do PT, energia nuclear, defesa da vida, Marina Silva, eleições 2010, disputa pelo Governo do Estado e tantos outros assuntos. Todo o conteúdo será divulgado no tempo certo. Mas, no final da conversa aconteceu uma inusitada revelação. Bassuma confidenciou que o ex-deputado Luis Eduardo Magalhães teria se manifestado durante um ato religioso e pediu para que ele levasse uma mensagem ao senador ACM Jr. (DEM), irmão do falecido. O deputado não comentou nada sobre o conteúdo da mensagem. Entretanto, será que ele irá ultrapassar a barreira política e levar o comunicado à família Magalhães? Será que trata-se de algo relacionado às denúncias e processos de César Mata Pires? Talvez Luis Eduardo queira convencer o irmão a não abandonar a vida pública।

Do Bahia Notícias.

Perguntar não ilumina
Quando o governo Lula vai criar o Bolsa-vela?

Do site de claudio humberto.

Cuidado com a APAGADILMA!!!

Apreensão
Há apreensão no Banco Central sobre previsões de crescimento recorde do Brasil em 2010: sem infraestrutura no País, a inflação pode voltar.

Está explicado
O leitor Frederico Araújo, de São Paulo, descobriu a razão do sumiço da ministra Dilma Rousseff após o apagão: “ela tem medo do escuro...”

Fiat Lux
O Ministério da Propaganda também apagou: em cadeia de rádio e TV, Lula ao menos poderia dizer que não viu nada “porque estava escuro”.

Barata tonto
Eduardo Barata, diretor do Operador Nacional dos Sistemas, parecia ontem uma barata tonta, na tevê, tentando explicar o apagão da era Lula e a incapacidade de sua ONS de evitá-lo.

Trem-fantasma
Ontem, day after do desastroso apagão nacional, a ministra Dilma tinha agendados encontros com o governador Luiz Henrique, de Santa Catarina, e com técnico chinês de projetos de ferrovias e trem-bala.

Farol do breu
A sede no Rio da estatal Furnas, uma das responsáveis pelo apagão, iluminava o breu dos moradores de Botafogo, zona sul, com todos os geradores ligados। Deu uma inveja nos contribuintes...

Do site de claudio humberto.

Peremptória insensatez
O ministro Genro (Justiça) confundiu "microincidente", como definiu o apagão, com "micoindicente", que ele pagou dizendo tamanha tolice.

Volta para o futuro
Tudo o que não quer Dilma, a mãe do apagão, neste momento, é ser lembrada como a ex-ministra das Minas e da Falta de Energia।

Do site de claudio humberto।

Comitê de Dilma se reúne até no Planalto
Para a ministra Dilma Rousseff a campanha de 2010 já começou e até sua casa se transforma em comitê eleitoral pelo menos uma vez por semana. Sempre às terças-feiras ela reúne o comando da campanha ora em sua residência, e ocasionalmente no Palácio do Planalto, para discutir os rumos da corrida. Participam das reuniões o ex-ministro da Fazenda Antonio Palocci e o ministro da Propaganda, Franklin Martins.

Presenças ilustres
Também vão às reuniões Fernando Pimentel, ex-prefeito de BH, Gilberto Carvalho, secretário de Lula, o marqueteiro João Santana e o presidente do PT, Ricardo Berzoini.

Estilo de ministro
As reuniões semanais do staff de Dilma Rousseff mostram seu estilo organizado e alguns dos pretensos futuros ministros।

Do site de claudio humberto.

Sponholz


"O presidente Lula está com Alzheimer político "
Ronaldo Caiado, líder do DEM, indignado com as crítica de Lula em relação ao mensalão

quinta-feira, 12 de novembro de 2009

FRASE DO DIA
“Dizem que Lula elege até poste. Será que elege poste apagado?”Ronaldo Caiado (G), líder do DEM na Câmara dos Deputados
Enviado por Ricardo
Deu em O Globo
Apagão mental
De Miriam Leitão:
Há muitas lições a tirar do apagão. A mais urgente é que energia é um tema que não pode ser entregue à partilha política. O sistema brasileiro foi montado para prevenir um evento como este, ou então, ser capaz de remediar em minutos.
Eram 5h15m de ontem quando chegou à Itaipu a informação do ONS de que podia gerar 100% da energia. O problema durara sete horas e dois minutos.
Vários técnicos e dirigentes de empresas com quem a equipe desta coluna conversou disseram a mesma coisa: o espantoso é demorar tanto para explicar o que houve.
A falta de diagnóstico rápido revela pouca coordenação e descontrole. O que assusta. A explicação oficial — e insuficiente — só chegou às 7h da noite.
Nas crises, fica ainda mais patético ter um ministro tão desligado do tema.
Edison Lobão disse inicialmente que era pane em Itaipu. Não era; foi na linha de transmissão. Disse que em 2001 o sistema não era interligado. Já era, há décadas; depois de 2001 foi reforçado. Disse que o apagão foi causado por problemas meteorológicos. O próprio governo depois negou. No início da noite, Lobão voltou a culpar o mau tempo. Isso é que dá escolher um ministro pela sua interligação com o sistema Sarney.
Ficou claro que há uma lista de tarefas a fazer: o país precisa aperfeiçoar o sistema de isolar o problema para evitar o efeito dominó. O mecanismo existe e deveria ter funcionado, explica Mário Veiga, presidente da PSR. Não funcionou e espalhou o sinistro por 18 estados.
Seja qual for a explicação que perdure, o fato é que no futuro haverá mais eventos climáticos extremos.
Secas como a de 2001 podem ocorrer com mais frequência, seguidas de grandes tempestades. O país depende muito de água nos reservatórios, e tem um sistema interligado. Portanto, está duplamente vulnerável. Precisa de um planejamento energético que leve em conta as mudanças climáticas e que aumente a segurança.
As decisões dos últimos anos tornam o país mais frágil, explica Adriano Pires, porque optou-se por manter o modelo de grandes hidrelétricas, como as do Rio Madeira, que exigirão linhões de transmissão e estarão interligadas ao sistema.
Mário Veiga lembrou que as hidrelétricas do Rio Madeira não terão reservatórios.
Interligar o sistema é um avanço, na opinião de Veiga. O necessário é ter um sistema eficiente que crie o "ilhamento" de eventuais problemas, disse Luiz Pinguelli Rosa. Veiga acha que o evento mostrou duas fragilidades:
— O sistema não conseguiu prevenir o problema e demorou muito a remediar.
Em 2001, houve racionamento. Falta de energia. Agora, houve apagão. São eventos totalmente diferentes.
Um foi crise de abastecimento; o outro, colapso de algumas horas no sistema operacional. Atualmente, há sobra de energia por dois motivos: muita água nos reservatórios por causa das chuvas abundantes; e a crise econômica que reduziu a demanda.
— A demanda estava crescendo a 5% ao ano. Em 2009, ficará estável. A crise anulou um ano de crescimento da demanda — explicou Mário Veiga. Leia mais em O Globo
Enviado por Ricardo Noblat
deu na folha de s.paulo

Serra faz críticas ao apagão; Dilma se cala
Para governador, blecaute revela a vulnerabilidade do sistema no país; ministra cancela compromisso e evita imprensa
Parlamentares de oposição dizem no Congresso que falha é resultado da gestão de Dilma Rousseff no Ministério de Minas e Energia
Pré-candidata à Presidência em 2010, a ministra Dilma Rousseff (Casa Civil), que chefiou por dois anos e meio o Ministério das Minas e Energia, cancelou compromisso ontem, não participou de reunião do governo para discutir o blecaute e não comentou o episódio.
Dilma tinha encontro com o governador de Santa Catarina, Luiz Henrique da Silveira, na sede provisória da Presidência, no Centro Cultural Banco do Brasil, mas desmarcou. Também não foi ao Itamaraty receber o presidente de Israel, Shimon Peres, como era esperado.
Ontem, às 19h40, quando deixava o CCBB antes do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, o que raramente faz, foi questionada sobre o apagão. Acenou aos jornalistas e disse: "Um beijo para vocês". A Folha enviou a sua assessoria um e-mail com perguntas sobre o blecaute, mas não obteve resposta.
Há duas semanas, em entrevista ao programa "Bom Dia, Ministro", da Radiobrás, Dilma disse que o Brasil estava a salvo de novo apagão elétrico. "Nós também temos uma outra certeza: que não vai ter apagão." Assinante do jornal leia mais em: Serra faz críticas ao apagão; Dilma se cala

Olha quem vem para jantar
Acusada de enriquecer no cargo, a presidente da Argentina, Cristina Kirchner, associou-se ao semi-ditador Hugo Chávez em ataques bizarros à liberdade de imprensa, e visita Lula no Brasil na quarta (18).

Lobby do bicho
O projeto que regulamenta o bingo parece elaborado por bicheiros que controlavam esse jogo ilegalmente no País: pretende limitar a três filiais cada empresa do setor. Isso serve a quem utiliza “laranjas” e afasta o investidor estrangeiro, habituado às regras rígidas da Europa e EUA.

Sabotagens
Domingo, o programa “60 minutes”, da rede americana CBS News, mostrou como é falho o sistema elétrico do Brasil, revelando uma suspeita da CIA: sabotagens provocaram apagões em Vitoria e RJ.

Xingamento
Em Ilhéus (BA), habituada aos absurdos celebrizados pela obra de Jorge Amado, o presidente da Câmara Municipal, Jailson Nascimento, processou um blog, o do Gusmão, por ter sido xingado de... “Sarney”.

Drible na lei
O governo petista da Bahia, contratou sem licitação, por R$ 3 milhões, uma empresa para “treinar” servidores da Secretaria da Fazenda. A estimativa é que até agora o governo de Jaques Wagner fechou contratos de R$ 100 milhões com a chamada “dispensa de licitação”.

Churrasquinho
O petista Lula gosta de conversar com o governador do DF, José Roberto Arruda, e o vice, Paulo Octavio do DEM। Combinaram um churrasco no próximo fim de semana do presidente em Brasília. Mas o problema é exatamente este: Lula ser encontrado em Brasília.

Do site de claudio humberto.

Ele é fã do Cauby

Era 1994, comício final da campanha de FHC no Rio. Chovia a cântaros, e a multidão na praça central de Duque de Caxias, baixada fluminense, começou a protestar porque o candidato e o Raça Negra não apareciam. Alguém sopra no ouvido do então candidato a deputado federal Ronaldo Cezar Coelho: “Vai lá e dá um jeito.” Fã confesso de Cauby Peixoto, RCC cantou, dançou e pagodeou até a chegada dos atrasadinhos.

Serra rejeita pressãoe enquadra o DEM
O governador tucano de São Paulo, José Serra, deu um “chega-prá-lá” humilhante no DEM, há dias, quando foi pressionado a definir sua candidatura presidencial. Disse à cúpula do Democratas que administra seu tempo como achar melhor, que não aceita pressão e que só a ele cabe a decisão de disputar ou não a sucessão de Lula. “Quem quiser me acompanhar terá de se adequar a isso ou cai fora”, advertiu.

Com Aécio
Após a bronca de Serra, que também não se comprometeu a acatar um vice do partido, o DEM se engajou na turma do mineiro Aécio Neves.

Emparedados
O problema do DEM é não ter alternativa senão esperar pelo PSDB. E o de Aécio é vir a ser obrigado a apoiar a eventual candidatura Serra.

Desculpas de sempre
Pouco mudou desde o apagão de 1999: o governo foi pego de surpresa e, como no governo FHC culpa da natureza, desígnios de Deus etc.

Apagão idêntico
Na era Lula, o apagão é semelhante ao de FHC: falta de investimentos। Atrasado, o PAC das hidrelétricas só existe nas festas e fanfarras.

Do site de claudio humberto.