terça-feira, 31 de julho de 2012

Visita de Dilma a
Londres custou
R$1 milhão

A comitiva de oito autoridades que acompanhou Dilma a Londres na terça (24) para as Olimpíadas custou R$900,1 mil aos contribuintes, revela a ONG Contas Abertas. O governo dispensou a nova embaixada e preferiu o cinco estrelas The Ritz London Hotel, um dos mais caros da Europa.O escalão preparatório da viagem consumiu R$195,3 mil em outro hotel, fora os gastos com internet, celular e aluguel de escritórios.

do site de claudio humberto.

segunda-feira, 30 de julho de 2012

Olimpíadas, Cultura Olímpica e o Brasil


Artigo por Paulo M. Ferreira

As Olimpíadas são realmente um evento único no mundo e ensina valores fundamentais. Nos mostra o que é, de fato, uma competição. Os duelos olímpicos definem o primeiro lugar e o último lugar. Para se tornar o melhor, você, acima de tudo, deve se esforçar e superar limites. As próximas Olimpíadas serão no Brasil, mas, infelizmente, só restarão as obras e, certamente, futuros escândalos de superfaturamento e enriquecimentos ilícitos. 

O principal legado deste evento mundial que é a cultura olímpica não se incorporará no ideário deste país. Aqui na "Terra Brasilis" impera a cultura do "coitadismo", o patrimonialismo e a crônica aversão ao mérito. Excluíram todos os créditos curriculares obrigatórios de educação física nas Universidades Brasileiras. Os estudantes de medicina e de engenharia, somente como exemplos, não tem em seus currículos de curso a prática desportiva obrigatória. O que se vê hoje, no ambiente universitário, são muitos jovens em idade de potencial biológico máximo para a prática de esportes de alto rendimento, se alcoolizando em bares, jogando dominó, participando de marchas a favor da maconha e outras tantas bobagens... Nas universidades brasileiras, o esporte foi deixado de lado. Os valores que ele nos ensina são muitos e seu legado é para toda a vida: esforço, disciplina, dedicação, planejamento, vitória, derrota, etc. 

Ao ver novamente os EUA liderando, como sempre [sic], os quadros de medalhas, me pergunto por que odeiam tanto esse país? A resposta mais fácil e rápida, mas errada, é culpar o tal "imperialismo". Entretanto, nesse país, o mérito é valorizado, se você tem potencial e acima de tudo, vontade e garra, encontrará quadras, equipamentos, técnicos especializados, mas, principalmente, um ambiente de competição com tantos outros jovens lutando para alçar o pódio de vencedor. Ao ver na TV uma jovem lutadora de judô, que veio de um dos Estados mais pobres do Brasil, o Piauí, se consagrar medalha de ouro nas olimpíadas, se projeta o país de vencedores, o Brasil do Joaquim Cruz, do Aurélio Miguel, do Robert Scheidt... Neste instante, esquecemos, nem que seja por um pequeno lapso temporal, o país em que realmente vivemos.


Paulo M. Ferreira

PS: Artigo dedicado ao meu amigo e ex-Professor de Natação, Mauricio Dahia, que tanto me ensinou para toda a vida.

Alambique homenageia o “cabôco”

A Academia de Letras, Artes, Música, Birita, Inutilidades, Quimeras, Utopias, Etc. (Alambique), prestou merecida homenagem ao ABC da Noite, que completa 50 anos de bons serviços etílicos, sob o comando do Caboclo Alencar. Uma placa comemorativa ao cinquentenário do ABC da Noite foi afixada na parede do bar, imortalizando esse momento especial na história da boemia itabunense.
Mais uma entre as tantas e merecidas homenagens ao Caboclo Alencar.

Do Cia da Notícia
Reconhecendo um erro, e consultando nosso mestre Adelindo Kfouri, coloco aqui a postagem do blog Cena Baiana.

AULA DE HISTÓRIA


Namir Mangabeira governou Itabuna entre 5 de setembro e 3 de outubro de 1966
Quem conhece a história de Itabuna nota um grave equívoco da candidata a prefeita pelo PT, Juçara Feitosa, que em seus discursos afirma que a cidade jamais foi governada por uma mulher. Não é verdade.
Itabuna já teve uma prefeita, ainda que por breves 28 dias. Foi a contabilista Namir Mangabeira, que em 1966 substituiu Félix Mendonça, então titular do cargo, do qual se afastou para disputar cadeira na Assembleia Legislativa.
O memorialista Nilton Ramos era servidor da Prefeitura à época e conta que Namir Mangabeira aproveitou o pouco tempo no poder para regularizar a situação salarial dos servidores. “Era uma mulher alta, elegante e inteligente”, lembra o ex-funcionário.
Namir faleceu em 1968, vítima de câncer, e entrou para a história por ter governado a cidade em um tempo no qual a política era dominada pelos homens. A candidata do PT, lamentavelmente, desconhece o fato.

A Charge de Néo Correia


sexta-feira, 27 de julho de 2012

Russomano, ironia do destino?, por Sandro Vaia

Enquanto o país se prepara para divertir-se com as Olimpíadas, que já começaram, e o julgamento do mensalão, que começa na semana que vem, as picuinhas da política provincial ganham seu tempero de pimenta de biquinho: não ardem muito, não queimam a língua e nem ajudam muito no sabor.
Mas servem para divertir e fazer passar o tempo.
São Paulo, que é de longe, por tamanho, poder econômico e vocação, o cenário mais importante das eleições municipais de outubro, tem um cenário inusitado: um líder que não sai do lugar, um concorrente oficial que apesar de ungido pelos santos óleos da maior divindade política surgida entre o final do século passado e o começo deste, empacou em um dígito, e um personagem popularizado pela tv e pela defesa do consumidor que corre por fora e ameaça tornar-se um inesperado protagonista dessa disputa.
Celso Russomano é aquele que na TV proclamava que “estando bom para ambas as partes”, os conflitos provocados por divergências entre vendedores e compradores estavam encerrados. E todos iam para casa felizes.
Ele é uma espécie de Procon “avant la lettre” e isso não o tornou nenhum portento político.
Vagou por cinco partidos, entre os quais PFL e PSDB (nunca foi do PT) e foi parar no quase fictício PRB, que foi fundado pelo falecido vice-presidente José de Alencar e que é uma espécie de vitrine política da Igreja Universal do Reino de Deus, do bispo Edir Macedo. Não à toa o bispo senador Marcelo Crivella é seu expoente máximo.
Ele vem subindo lenta e consistentemente nas pesquisas Datafolha e já está com 26%, tecnicamente empatado com o líder José Serra e com uma rejeição de apenas 12% contra 37% do ex-governador.
No começo do ciclo de pesquisas de intenção de votos dedicava-se a ele (inclusive de minha parte, confesso) um meio sorriso entre o escárnio e o desprezo, pois afinal de contas não é o nome dos grandes partidos nem das grandes batalhas. Um coadjuvante. Quem dá bola a coadjuvantes?
Recall por causa dos programas de TV, logo ele volta ao seu lugar, escreveram (ou por pudor só pensaram) os “especialistas” em análise política.
Quem resistiria, afinal, ao infalível criador e animador de postes que transforma em ouro tudo o que toca, e o outro, que carrega nas costas os 44 milhões de votos que os opositores do governo não encontram onde despejar?
Uma eleição que nasceu parecendo carregar em si a fatalidade de transformar-se na mãe de todas as batalhas e o destino de tornar-se a infalível prévia eleitoral de 2014, pode ir parar nas mãos de um palavroso repórter que zela pelo bom funcionamento das geladeiras e dos fogões que o comércio relapso vende a seus desavisados clientes.
Não seria uma impagável ironia do destino?

Sandro Vaia é jornalista. Foi repórter, redator e editor do Jornal da Tarde, diretor de Redação da revista Afinal, diretor de Informação da Agência Estado e diretor de Redação de “O Estado de S.Paulo”. É autor do livro “A Ilha Roubada”, (editora Barcarolla) sobre a blogueira cubana Yoani Sanchez. E.mail: svaia@uol.com.br

do blog do noblat

quarta-feira, 25 de julho de 2012





O uso global de cacau na indústria poderá cair pela primeira vez em três anos. A queda pode ser motivada pelo uso dos estoques de manteiga de cacau, por parte dos processadores, em vez da moagem das amêndoas, para atender à demanda do mercado de chocolate, que deve movimentar US$ 108 bilhões.
 
Já nesta temporada, a moagem de cacau deverá cair pela primeira vez desde o ciclo 2008/2009, segundo Jonathan Parkman, codiretor de agricultura da corretora Marex Spectron Group. O declínio do processamento europeu e das moagens dos Estados Unidos no segundo trimestre do ano, deverá gerar um excedente de 100 mil toneladas de cacau no mercado global, de acordo com Parkman.
 
O volume mundial de vendas de chocolate, por sua vez, deverá aumentar 1,2% este ano, para 7,1 milhões de toneladas, de acordo com a empresa Euromonitor International.
 
Peter G. Johnson, CEO da Transmar Commodity Group, uma companhia de processamento de cacau com unidades na Europa, Equador e Estados Unidos, afirma que alguns processadores utilizaram manteiga para atender a alguns contratos em vez de processar as amêndoas. Segundo ele, o custo da compra destes produtos era, em muitos casos, mais baixo que a moagem do cacau.
 
Os estoques de manteiga de cacau estão estimados em 150 mil toneladas, ou 15% da produção global em novembro do ano passado, segundo Steven Haws, fundador da Commodities Risk Analysis LC, de Nova York. Fonte: Valor 

do www.mercadodocacau.com.br

“Surpresa” do momento em SP é Russomanno 54



O candidato Celso Russomanno é a “surpresa” do momento na principal eleição municipal do país, na cidade de São Paulo.
A esta altura não há dúvida de que Russomanno, no minúsculo PRB, está em alta. Há um mês ele tinha 21%. Pulou para 24%. E agora foi a 26% na pesquisa Datafolha de 19 e 20 de julho – empatando tecnicamente com José Serra (PSDB), cuja pontuação é 30%. Aqui, todas as pesquisas de 2012.
O que isso significa? Que Celso Russomanno pode até desidratar durante a campanha, mas ninguém mais sabe quanto tempo isso vai demorar e com qual intensidade pode (ou não) ocorrer.
Vários aspectos devem ser considerados:
1) candidato (in)visível: Russomanno era dado como um candidato invisível quando começasse a campanha por estar num partido nanico. Não será mais assim. Com seus 26%, ganhará mídia espontânea nos telejornais de todas as emissoras. É a melhor mídia possível, pois é por onde a maioria dos eleitores se informa;
2) horário eleitoral: como conseguiu se coligar ao PTB, Russomanno deverá ter cerca de 2 minutos por dia na propaganda de rádio e de TV. É pouco? Sim se comparado aos cerca de 8 minutos cada que José Serra (PSDB) e Fernando Haddad (PT) terão. Mas é muito para um candidato hábil em dominar esse meio de comunicação.
Sobre a coligação de Russomanno com o PTB também é necessário dizer: esse foi o maior erro estratégico do PT na eleição paulistana. O PTB participa do governo Dilma Rousseff e poderia estar na aliança com os petistas na capital paulista.
3) piso para a queda: ninguém sabe qual é o limite mínimo para Russomanno. O que sempre se fala é que o candidato do PRB despencou em 2010, quando disputava a eleição para governador de São Paulo. Não foi bem assim.
Em julho de 2010, Russomanno pontuava 11% no Datafolha. Na eleição, teve 5,4%. Mas na capital do Estado, sua votação foi de 6,7% dos votos válidos. Ou seja, caiu 39% na cidade de São Paulo de julho até outubro de 2010.
Se esse cenário se repetir, o candidato do PRB pode chegar ao dia da eleição dese ano com algo próximo a 16%. É muita coisa. O suficiente para atrapalhar os planos de outros postulantes à segunda vaga na disputa.
Dessa forma, ficará acirrada a concorrência pelo segundo lugar –considerando-se que José Serra vai se manter à frente (o que também não é uma premissa imutável, mas parece no momento algo plausível –apesar da renitente rejeição que o tucano ostenta).
Nesse cenário, o petista Fernando Haddad continua a ter o potencial enorme representado pelo apoio do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e de toda a militância do PT. Mas como tem só 7%, terá de tirar de algum lugar os pontos extras para crescer. De Russomanno podem vir alguns desses pontos, só que não será tão fácil como parecia até há algumas semanas.

Governo só pagou 13% da verba contra desastres

O governo federal liberou por meio de Medidas Provisórias mais de R$ 1,7 bilhão em créditos extraordinários para combater seca e enchentes, mas até agora só pagou R$ 235,8 milhões, o que corresponde a 13% do valor total. Segundo levantamento feito pela liderança do PSDB na Câmara, o valor empenhado também é mínimo: R$ 402,8 milhões. O restante fica à disposição do governo para gastar como bem entender.

Pra inglês ver

Aprovada no último dia 10, a MP 566 garante R$ 281 mil a agricultores que perderam na safra com a seca. O valor sequer foi empenhado.

Não sai do papel

A mesma medida liberou R$ 424,6 mil para atendimento a vítimas da seca. Nem um quarto da verba foi liberado: até agora, só R$ 94,9 mil.

Pura enganação

A MP 569, que garante R$ 688 mil a emergências, só teve R$ 140 mil pagos.Já os R$381 mil liberados pela MP 572 nem foram empenhados.

Povo é que sofre

Também não foi empenhado “um centavo” dos R$ 238 mil para manter a Educação Infantil em municípios atingidos pela seca.

do site de Claudio Humberto.

Publicidade cresce 10%, diz Ibope Monitor

No primeiro semestre, agências como WMcCann, BorghiErh, PPR, Giovanni e DM9 se destacam. Entre anunciantes, GM, VW, Caixa e Nestlé ampliam

Felipe Turlão|, do Meio e Mensagem
 Os investimentos em publicidade crescem 10% no primeiro semestre de 2012, de acordo com dados divulgados pelo Ibope Monitor nesta quarta-feira, 25. O ranking de Agências traz as mesmas três primeiras colocadas em relação à listagem divulgada em janeiro e referente ao ano de 2012: Y&R, AlmapBBDO e Ogilvy.

A partir daí, há novidades. A primeira delas é a WMcCann, que ultrapassou a JWT e passou para a quarta posição. Outra mudança grande envolve a EuroRSCG, que caiu da 6ª para a 16ª colocação, dando espaço para forças emergentes, como o grupo PPR (dono de NBS e Quê), que passou para a sétima colocação, e Giovanni+DraftFCB, que saltou do 11º para o 9º lugar. A DM9DDB entrou no top ten, fechando em 9º.

De acordo com o ranking, as 50 maiores agências do mercado brasileiro movimentam 62% da verba publicitária nacional.

Entre os anunciantes, um dos destaques é a redução de distância entre a líder Casas Bahia e a segunda colocada Unilever, graças ao crescimento de 21% da empresa de bens de consumo – a última vez que a Unilever ocupou a liderança do ranking foi em 2002.

Outro grande destaque foi a Caixa, com alta de 68% nos investimentos, indo da 7ª para a 3ª posição entre os maiores anunciantes do Brasil. A General Motors também galgou posições, indo da 18ª para a 6ª posição, mesmo feito repetido pela rival Volkswagen, que foi de 13º para 9º.

Na categoria de bens de consumo, além da subida da Unilever, houve outra grande mudança, com a entrada da Nestlé, 28ª colocada no ranking de 2011, para o Top Ten (10ª) no ranking do primeiro semestre. A P&G, por outro lado, caiu do 9º para o 18º lugar.

Os rankings do Ibope Monitor não levam em conta os descontos normalmente negociados entre as partes, computando os valores expressos nas tabelas dos veículos – o que causa uma grande distorção nos números absolutos de investimentos de anunciantes e agências, muito acima da realidade e dos dados do Projeto Inter-Meios. Além disso, o Ibope tem por critério valorar todo e qualquer espaço ocupado, seja ele gratuito ou não. A divulgação mais recente do Projeto Inter-Meios mostra que a mídia brasileira faturou R$ 8,9 bilhões nos quatro primeiros meses de 2012 (leia mais aqui).
 Confira o ranking de Anunciantes:


Rank 2011
 Rank 2012
TOP 30 ANUNCIANTES
Jan a Jun/2012
Jan a Jun/2011
R$ (000)
 R$ (000)
1
1
CASAS BAHIA
                1.684.650
            1.629.672
2
2
UNILEVER BRASIL
                1.463.915
            1.209.375
7
3
CAIXA (GFC)
                   796.527
               473.691
3
4
AMBEV
                   793.287
               677.977
8
5
SKY BRASIL
                   777.950
               452.523
18
6
GENERAL MOTORS
                   539.874
               310.445
6
7
CERVEJARIA PETROPOLIS
                   484.914
               484.398
5
8
HYUNDAI CAOA
                   481.269
               519.366
13
9
VOLKSWAGEN
                   477.166
               374.173
28
10
NESTLE
                   455.207
               244.742
20
11
VIVO
                   447.834
               298.760
12
12
FIAT
                   416.671
               382.858
#
13
PETROBRAS (GFC)
                   416.146
 #
22
14
OI
                   415.483
               291.040
11
15
BRADESCO
                   405.814
               383.847
15
16
GRUPO PAO DE ACUCAR
                   404.706
               337.066
17
17
HYPERMARCAS
                   404.121
               315.224
9
18
PROCTER E GAMBLE
                   393.197
               450.545
4
19
RECKITT BENCKISER
                   351.593
               624.742
26
20
COLGATE PALMOLIVE
                   346.259
               280.674
23
21
BCO DO BRASIL (GFC)
                  342.290
               287.648
16
22
TIM BRASIL
                   339.296
               316.687
27
23
ITAU
                   333.569
               258.777
25
24
COCA COLA
                   317.909
               281.539
21
25
NET COMUNICACAO
                   314.108
               296.804
24
26
CLARO
                   267.057
               284.235
10
27
PEUGEOT CITROEN
                   260.616
               400.094
#
28
SCHINCARIOL
                   260.208
 #
#
29
CAOA
                   252.644
 #
14
30
HEWLETT PACKARD
                   248.025
               345.988
# Não classificado entre os 30 maiores do período em 2011.
  Confira o ranking de Agências:


Janeiro a Junho 2012
 
Moeda: R$ (000)
 
 
 
 
Posição
Agência
Investimento
1
Y R
                             3.062.521
2
ALMAP BBDO
                             1.526.239
3
OGILVY E MATHER BRASIL
                             1.411.747
4
WMCCANN
                             1.353.714
5
JWT
                             1.097.766
6
BORGHIERH LOWE
                             1.027.718
7
PPR
                                968.434
8
GIOVANNI DRAFTFCB
                                925.172
9
DM9DDB
                                910.910
10
AFRICA
                                906.785
11
F NAZCA S E S
                                854.466
12
NEOGAMA
                                838.985
13
Z MAIS
                                836.559
14
PUBLICIS PBC COMUNICACAO
                                835.491
15
LEO BURNETT
                                757.735
16
EURO RSCG BRASIL
                                719.957
17
NOVA SB
                                591.154
18
LODUCCA
                                563.023
19
TALENT
                                546.225
20
GREY 141
                                494.793
21
FISCHER E FRIENDS
                                468.411
22
MULTI SOLUTION
                                443.490
23
MY PROPAGANDA
                                438.696
24
P A PUBLICIDADE
                                403.801
25
DPZ
                                384.645
26
LEW LARA TBWA
                                368.812
27
TATERKA
                                341.637
28
ARTPLAN
                                330.820
29
AGENCIA CLICK
                                303.875
30
MASTER
                                299.047
31
PROPEG
                                280.987
32
FULLPACK COMUNICACAO
                                248.599
33
QG PROPAGANDA
                                233.316
34
LONGPLAY COMUNICACAO 360
                                222.100
35
AGENCIA WE
                                193.671
36
LOV
                                186.287
37
AGE
                                181.160
38
P E M PUBLICIDADE E MARKETING
                                177.668
39
DENTSU
                                169.205
40
PRO BRASIL
                                155.135
41
CAFE COMUNICACAO INTEGRADA
                                155.118
42
REF COMUNICACAO
                                154.296
43
MOMA PROPAGANDA
                                152.881
44
EUGENIO PUBLICIDADE
                                120.710
45
AGNELO PACHECO COMUNICACAO
                                117.787
46
AGENCIA FBIZ
                                109.320
47
MINDSON
                                  98.810
48
GIACOMETTI PROPAGANDA
                                  97.900
49
PANDORA PUBLICIDADE
                                  97.633
50
HEADS PROPAGANDA
                                  93.670

Alô Alô: Baiano é uma das 100 personalidades mais influentes do agronegócio

O empresário e publicitário baiano Marco Lessa foi eleito, pela segunda vez, uma das 100 personalidades mais influentes do agronegócio no Br...