quarta-feira, 26 de setembro de 2012

Dilma ignorava Pertence e até suas indicações

Dilma não dava a mínima para o ex-presidente da Comissão de Ética da Presidência da República Sepúlveda Pertence. Nem despachavam. Trocaram palavras pela última vez na posse do ministro Carlos Ayres Britto na presidência do STF, em abril. Ela mandou dizer pelo ministro Gilberto Carvalho, o secretário-geral, que os nomes por ele sugeridos, de atuação i
ndependente, não seriam reconduzidos. Foi a gota d’água.

Ética só nos outros

Dilma se irritou com sugestões dos membros não reconduzidos para a demitir um ministro (Carlos Lupi) e advertir outro (Fernando Pimentel).

Do site de Claudio Humberto.

Comentário do Blog: - Séria? KKKKK Piada. Dilma é igualzinha a Lula, só que muito mais mal humorada.


EXCLUSIVO: Shoppings de Salvador podem passar a cobrar por estacionamento a partir de 1º de novembro

Amanda Barboza, do Politica Livre.
Foto: Route 777
Empresas já estão de olho no grande mercado de cobrança por vagas em estacionamentos de shoppings
Os shoppings de Salvador podem passar a cobrar pelo uso de seus estacionamentos, a exemplo do que já acontece em outras capitais, a partir do dia 1º de novembro. Rumores dão conta ainda de que já haveria, inclusive, empresas se escalanado para cobrar pela operação. O Política Livre entrou em contato com a Secretaria Municipal de Comunicação (Secom), que não conseguiu checar a informação com a Procuradoria do Município, tendo em vista que o caso está sub júdice. Em maio de 2011, o prefeito João Henrique (PP) havia declarado à imprensa que vetaria qualquer projeto de lei que autorizasse a cobrança, destacando que enquanto permanecesse no mandato manteria a luta em defesa dos direitos do consumidor, o que tem acontecido até agora. A Superintendência de Controle e Ordenamento do Uso do Solo determina que os shoppings disponibilizem uma vaga gratuita por cada 50m2 de área construída. É autorizado o serviço de manobrista mediante pagamento em determinados espaços.

domingo, 23 de setembro de 2012

No Brasil, caviar chega a R$ 47 mil o quilo

O mercado brasileiro de caviar vive um momento de crescimento, apoiado na oferta de ovas de esturjão de cativeiro e no bom momento econômico.No ano passado, a importação de caviar e outras ovas comestíveis de peixes atingiu 6,9 toneladas, 52% acima de 2009 e mais de cinco vezes o volume que entrou no país em 2008, de 1,3 tonelada.
No Brasil, caviar chega a R$ 47 mil o quilo
Foto:GettyImages/Fotobank
A Secretaria de Comércio Exterior do Ministério do Desenvolvimento não tem estatísticas oficiais para a importação do verdadeiro caviar, de esturjão. Mas estimativas privadas para o mercado legal de caviar de esturjão ficam pouco acima de 1 tonelada, segundo o diretor-executivo da Associação Brasileira de Alta Gastronomia (Abaga), Jorge Monti. O potencial, no entanto, é bem maior. “O Brasil tem 5,8 milhões de ricos e há 3 mil restaurantes classe A só em São Paulo”, diz.

Só no ano passado, a Le Caviar, uma das principais importadoras do país, trouxe cerca de 1,5 tonelada, o maior volume desde que a empresa foi criada, em 2006. Mas a maior parte é de esturjões de cativeiro da Europa, e não de peixes selvagens da Rússia e do Irã, como ocorria até os anos 90. “A Rússia praticamente não exporta, e o produto de peixes de cativeiro é mais seguro do ponto de vista de qualidade e higiene”, avalia Daniel Lecuona, sócio da importadora.

O preço do caviar beluga de esturjões selvagens – o mais apreciado – torna o produto ainda mais limitado: o quilo chega ao Brasil a R$ 47 mil nas marcas de primeira qualidade. “O caviar selvagem de primeira linha é hoje muito difícil de encontrar”, afirma o importador.

Monti, que é chef de cozinha, afirma que o sabor do caviar de cativeiro não pode ser considerado igual ao selvagem. “A alimentação e as condições controladas mudam o sabor das ovas, assim como há diferença entre qualquer carne de animal de criação e de caça”, compara.

Do lado da demanda, o bom momento econômico do Brasil ajuda, mas o caviar não sofre efeito direto do aumento da renda da classe média – faixa que mais cresce no país. “O caviar não exterioriza nenhum tipo de riqueza, diferentemente de produtos como um Rolex ou uma Ferrari. O consumidor de caviar compra porque conhece e aprecia, e não para ostentar”, avalia Lecuona.

A Le Caviar deve reduzir o volume de importação de ovas de esturjão para 1 tonelada em 2011, segundo ele, porque ainda há estoques das importações recordes do ano passado. Assim como o aumento da produção, o crescimento da demanda brasileira segue de forma lenta.

    Crime organizado

    Descoberta recente da PF indica que a gangue que controla presídios paulistas financia os estudos de jovens para servir ao crime, no futuro.

    Pelas regras do jogo

    Jovens com estudos pagos pela organização “PCC” teriam a tarefa de ingressar por concurso em polícias, ministério público e na Justiça.

do site de claudio humberto.

Álbum 'Expresso 2222' de Gil ganha reedição comemorativa

Álbum 'Expresso 2222' de Gil ganha reedição comemorativa
O disco "Expresso 2222" do compositor Gilberto Gil ganhará uma nova edição comemorativa de 40 anos de lançamento. O álbum, que representa um dos pilares da obra do músico baiano, foi remasterizado nos estúdios ingleses de Abbey Road para ser relançado. O projeto gráfico original da capa para LP também ganha uma nova edição transposta para o formato de CD.

Gil considera o disco uma antecipação do que viria a ser a sua contribuição para a música brasileira."Meus trabalhos futuros já estavam delineados ali, em uma série de procedimentos que depois foram se desdobrando em conjuntos criativos", diz Gil. "Elementos dos discos 'Refazenda' (1976) e 'Refavela' (1977), por exemplos, foram garimpados ali".

As principais inovações do "Expresso 2222", conta Gil, foram a introdução da guitarra no samba e no baião e o início de canções com temática filosóficas e introspectivas. Com informações da Folha de S. Paulo.

Inscrições em andamento para o Prêmio Aderbal Linhares de outdoor

Inscrições em andamento para o Prêmio Aderbal Linhares de outdoor
O Prêmio Central de outdoor está de volta. A Central de outdoor vai escolher na primeira quinzena de outubro os melhores trabalhos realizados para o veículo pelas agências de propaganda e também vai premiar os melhores cartazes criados por estudantes dos cursos de Publicidade. Serão duas categorias: profissional e estudantil. A primeira compreende os sub-categorias comercial, ação social e livre. Para participar os interessados devem acessar o website www.outdoor.org.br/premio2012, seguir os procedimentos e enviar os trabalhos até 30 deste mês.

O Prêmio terá duas etapas: a regional onde serão escolhidos os trabalhos das regiões das afiliadas da Central e a etapa nacional onde concorrem os trabalhos premiados com ouro. O Prêmio na Bahia recebeu o nome de Prêmio Aderbal Linhares, em homenagem ao pioneiro do outdoor na Bahia, e as peças selecionadas serão escolhidas por um júri de especialistas.
" O presidente Lula já não detém prerrogativas de foro "
Procurador-geral Roberto Gurgel,para quem qualquer promotor pode processar Lula

domingo, 16 de setembro de 2012

Preço de imóvel é irrealista e insustentável, diz estudo

GUSTAVO PATU,  - DE BRASÍLIA - Do UOL

Estudo conduzido por dois pesquisadores do Ipea (Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada) aponta "possibilidade concreta de existência de uma bolha no mercado de imóveis no Brasil", que pode estourar com a possível elevação futura dos juros.
Ou, em outras palavras, que a disparada dos preços de casas, terrenos e apartamentos nos últimos anos está resultando em valores irrealistas, incompatíveis com os movimentos de oferta e procura do mercado -e, portanto, insustentáveis.
Assinado pelos economistas Mário Jorge Mendonça e Adolfo Sachsida, o trabalho alimenta com novos argumentos a controvérsia instalada entre estudiosos, compradores e vendedores.
Os autores calculam que os preços tiveram alta de 165% na cidade do Rio de Janeiro e de 132% em São Paulo entre janeiro de 2008 e fevereiro deste ano, contra uma inflação de 25% no período.
Com intervalos de tempo menores, em razão da indisponibilidade de dados mais antigos, também se constataram aumentos bem superiores à inflação em capitais como Recife, Belo Horizonte, Brasília e Fortaleza.
IMPULSO DO GOVERNO
Tradicionalmente, bolhas de preços são infladas pelo crescimento acelerado da oferta de crédito.
Esse crescimento aconteceu no setor habitacional brasileiro -com o impulso, enfatiza o estudo, de programas, incentivos e obras do governo federal.
"A insistência do governo em aquecer ainda mais um mercado imobiliário já aquecido só tende a piorar o resultado final", diz o texto.
Entre os exemplos citados estão, além dos juros favorecidos para o setor imobiliário, o programa Minha Casa, Minha Vida e os empreendimentos vinculados à Copa do Mundo de 2014 e aos Jogos Olímpicos de 2016.
Vinculado à Presidência da República, o Ipea não endossa essas conclusões. Em seu boletim "Conjuntura em Foco", o órgão argumenta que o volume de crédito no país ainda está muito longe dos 65% do Produto Interno Bruto contabilizados nos EUA.
Mas o próprio boletim mostra a rapidez da expansão dos financiamentos habitacionais brasileiros, que saltaram de 1,5%, em 2007, para mais de 5,5% do PIB neste ano.
BANCOS PÚBLICOS
Mendonça e Sachsida afirmam que, a partir do agravamento da crise internacional, no final de 2008, o crédito imobiliário tem crescido em ritmo superior ao do destinado a outros setores, especialmente nos bancos públicos.
Antes, a ampliação do crédito era puxada por bancos privados e privilegiava os setores industrial, rural, comercial e empréstimos diretos a pessoas físicas.
Segundo o estudo, a escalada dos preços dos imóveis tende a ser interrompida ou revertida com a alta dos juros, o que é esperado com a retomada do crescimento econômico e, mais ainda, com uma alta futura das taxas internacionais.
O texto diz que os efeitos de uma eventual crise no mercado imobiliário brasileiro não serão catastróficos como os do estouro da bolha americana, ponto de partida da crise global. "Contudo, não serão desprezíveis."
ASCENÇÃO SOCIAL
Bolhas especulativas acontecem, pela definição mais usual, quando os preços sobem simplesmente porque os investidores e compradores acreditam que os preços subirão ainda mais no futuro.
Exemplos do gênero são mais comuns nos mercados de ações e imóveis, mas o primeiro caso documentado, no século 17, envolveu a mania por tulipas na Holanda.
Os preços subiram rapidamente e pessoas de todas as classes vendiam propriedades para investir nas flores. Depois de alguns anos, a bolha estourou, os preços caíram subitamente e inúmeros negociantes foram à falência.
Não é simples determinar se uma disparada de preços é uma bolha ou se está amparada em transformações da economia ou da sociedade.
No caso dos imóveis brasileiros, a alta pode ser resultado da ampliação da classe média nos últimos anos, possibilitada pela melhora do mercado de trabalho e pela ampliação dos programas de transferência de renda.
É o que defende um estudo produzido em 2010 pela MB Associados a pedido da associação dos bancos financiadores de imóveis. Por esse raciocínio, a ascensão social impulsionou a demanda em ritmo superior ao da oferta.
O texto não descartava, porém, a possibilidade de que a alta de preços se transformasse em bolha no futuro. E acrescentava que bolhas só podem ser determinadas com certeza quando estouram.

Editoria de Arte/Folhapress
HÁ UMA BOLHA IMOBILIÁRIA NO BRASIL? Cinco sinais que confirmam ou afastam a tese

quarta-feira, 12 de setembro de 2012

iPhone 5: 10 milhões em três semanas

Além das altas expectativas com a renovação do smartphone da Apple, analistas preveem vendas recordes do celular que chega nesta quarta-feira, 12

 
Nesta quarta-feira, 12 de setembro, às 14 horas (18 horas em Brasília), diretamente do Yerba Buena Center for the Arts, em San Francisco, o CEO da Apple, Tim Cook, anuncia as esperadas novidades da empresa, entre as quais, espera-se, esteja a sexta geração do smartphone lançado em 2007, chamado informalmente de iPhone 5. As expectativas de desenvolvedores, usuários e analistas de todo o mundo são as mais altas possíveis, já que, a cada renovação do parque de dispositivos móveis (iPhone, iPad e iPod) e de computadores e notebooks, a Apple tem por tradição apresentar uma série de inovações que, invariavelmente, serão adotadas pelo mercado de smartphones (e derivados) no mundo todo. Ainda, será o primeiro grande lançamento na gestão de Tim Cook, ou seja, na era pós-Steve Jobs. Cook lançou o iPhone 4S em outubro do ano passado, evento que foi um balde de água fria para os que acreditavam num anúncio mais espetacular. Agora, o CEO da Apple deverá reparar a frustração de milhões de usuários globais.

Mais precisamente, as estimativas de analistas apontam que, até o final deste mês, serão vendidos 10 milhões de aparelhos. Ou seja, em quase três semanas, da pré-venda à venda oficial, ao menos nos EUA, as previsões apontam esse número. Na comparação, o Samsung Galaxy S III vendeu 10 milhões em 50 dias. Já a própria Apple vendeu 4 milhões de iPhone 4S no primeiro final de semana de lançamento. E, segundo o balanço do ano passado, a empresa vendeu 37 milhões de aparelhos durante 2011. Apenas uma vez, no último trimestre de 2010, a Apple conseguiu realizar o feito de vender 14,1 milhões de iPhones, acima da marca ora projetada de 10 milhões. Pelas estimativas mais otimistas, a Apple deve vender 250 milhões de iPhones 5 até que o aparelho seja, novamente, renovado. Isso significaria uma receita de US$ 144 bilhões, ou três vezes mais do que a empresa faturou com o aparelho nos cinco anos de existência do iPhone. É bom registrar que apenas o smartphone responde por 70% do faturamento da Apple, atualmente.

Lançamento histórico

Ao lado das inovações que certamente virão com o iPhone 5 - novo design de hardware, tela maior, mais fino, novo software de mapa, 4G, novo sistema operacional (iOS 6) e uma série de outras funcionalidades -, o mais importante é que, segundo as previsões dos analistas, a chegada do iPhone 5 poderá figurar entre os mais importantes lançamentos de produtos eletrônicos de consumo da história. Isso se a previsão de vendas for confirmada.

A Apple, inegavelmente, tem um produto matador nas mãos. Mas, para mantê-lo na liderança, depende de inovações. E os concorrentes, como a Samsung, têm se esforçado em promover estragos num mercado estimado em US$ 219 bilhões, conforme dados do ano passado. Também competem com a Apple outros players como a Motorola Mobility (que pertence ao Google), a Nokia (que tem parceria com a Microsoft com o Windows Mobile Phone), a HTC e outra dezena de fabricantes mundiais.

Se a Apple atenderá ou suprirá a expectativa do mercado e dos consumidores, apenas o anúncio desta quarta-feira, 12, poderá responder. Por ora, as previsões mais pessimistas recaem sobre a escassez de telas (da LG e da Display Japan), o que pode limitar a fabricação de aparelhos e prejudicar a capacidade de venda estimada em 50 milhões de iPhones até o final deste ano. Por outro lado, o uso da rede de altíssima velocidade (4G), o ânimo dos desenvolvedores com as novas funcionalidades, a fidelidade do usuário, a troca de modelo mais antigos de smartphones em massa, em todo o mundo, a partir do ano que vem e a crescente popularização da Apple na China e em outros países fora dos EUA (Brasil inclusive), deverão ajudar as vendas do iPhone e, provavelmente, atingir as expectativas projetadas pelos analistas mais excitados.


do Meio & Mensagem

STF: Joaquim será presidente e relator, se for necessário

O ministro relator do processo do mensalão, Joaquim Barbosa, vice-presidente do Supremo Tribunal Federal, foi questionado por amigos preocupados com os sinais de manobras protelatórias, cujo objetivo seria arrastar o julgamento até 18 de novembro, quando se aposenta o presidente do STF, ministro Carlos Ayres Britto. A aposta do PT é que, ao assumir a presidência, Barbosa deixaria a relatoria. Ledo engano.


Nem pensar

Joaquim Barbosa avisou: se chegar ao ponto de assumir a presidência do STF durante o julgamento do mensalão, não abrirá mão da relatoria.

 

Ócio precoce

Carlos Ayres Britto vai se aposentar ao completar 70 anos, em novembro, assim como Cezar Peluso deixou o STF no último dia 3.

 

Pegou bem

A exemplo de Ayres Britto, o ministro Joaquim Barbosa também gostou da escolha Teori Zavascki para a vaga de Cezar Peluso no STF.

 

Fraquinho

Preterido mais uma vez para a sonhada vaga no STF, Luiz Adams (AGU) agora já pode ter certeza de que Dilma não confia no seu taco.
do site de claudio humberto.

Empresa chinesa lança cópia do iPhone 5 antes da Apple



Uma empresa eletrônica da China lançou uma cópia do iPhone 5 – o próximo smartphone da Apple, que deverá ser apresentado ao público somente no próximo dia 12 de setembro -, depois que imagens do novo modelo circularam pela internet, informou nesta quarta-feira o site ‘PConline’.
A empresa, chamada Goford Electronics, confirmou ao site citado a produção da cópia, cujo nome também reflete a procedência de seu modelo de inspiração: o ‘Goophone i5′. Aparentemente, as diferenças entre ambos os telefones se resumem apenas ao símbolo da marca. Ao invés da tradicional maça da Apple, o modelo chinês apresenta uma vespa com asas abertas, como mostram as fotos do ‘Goophone i5′ que circulam pela internet.
Sediada em Shenzhen, no sul da China, a empresa tecnológica chinesa explicou que seu novo modelo foi desenhado a partir dos rumores criados em torno do iPhone 5. Desta forma, o ‘Goophone i5′, assim como se espera do novo smartphone da Apple, é mais fino que o modelo anterior, possui uma nova entrada USB e entrada de fones na parte inferior, além de ter a parte de trás divida em três seções.
A réplica, no entanto, tem algumas diferenças assinaladas pela própria companhia, como seu processador, que é inferior ao que supostamente terá o iPhone 5, e o sistema operacional, que, no caso do chinês, é o Android do Google.
Com agências internacionais

do VOXNEWS

Jogos Olímpicos não beneficiam varejo em Londres


Vendas caíram 0,4% em relação ao ano anterior, segundo pesquisas
por propmark
Ao ser sede de uma edição dos Jogos Olímpicos, o que uma cidade espera além dos esportes é ser inundada por uma grande movimentação financeira devido ao alto número de turistas que certamente irão consumir. No entanto, a edição de 2012 provou que nem sempre é isso que acontece. Segundo um levantamento da British Retail Consortium (BRC) e da KPMG, as vendas no comércio londrino caíram 0,4% em agosto, mês da competição, frente ao mesmo mês de 2011.
Embora aguardasse um aumento agressivo nas vendas, o varejo só ficou mais movimentado no setor de comidas e bebidas, enquanto a venda online foi a que apresentou a maior redução de desempenho. Segundo Stephen Robertson, diretor geral do BRC, não há nenhuma evidência de que as Olimpíadas irão beneficiar as vendas no varejo. “Está claro que o interesse de todos estava nos Jogos, fazendo com que fossem pouco às compras, especialmente para produtos de maior valor agregado”, afirmou o executivo à mídia local.
Agosto tradicionalmente é um mês fraco nas vendas britânicas, mas os varejistas estavam confiantes que os Jogos Olímpicos trouxessem um boom para seu fluxo de caixa. Entretanto, o engajamento do público se ateve aos esportes, e não às compras. Ainda assim, a esperança do mercado está nas vendas após o verão, já pensando na preparação das festas de fim de ano.
Mesmo com a queda na média de consumo, os patrocinadores dos Jogos Olímpicos se deram bem. A Procter & Gamble anunciou que espera uma evolução de US$ 500 milhões nas vendas em solo britânico durante o período do campeonato, enquanto a Adidas tem como expectativa um aumento de 250% em comparação com as Olimpíadas de 2008. O desempenho esportivo também afetou o comércio para a Cycle Surgery, uma vez que a boa campanha do time de ciclistas fez a rede de bicicletarias alcançar um recorde de vendas.
*com informações do Advertising Age
 
Do propmark

Dirceu recomenda que PT concentre forças contra José Serra na reta final

FotoJOSÉ DIRCEU

O ex-ministro da Casa Civil e réu do mensalão, José Dirceu, recomendou ao PT que concentre suas forças contra o candidato do PSDB à prefeitura de São Paulo, José Serra, e que deixe o enfrentamento com o candidato do PRB, Celso Russomanno para a "etapa seguinte". Em seu blog, Dirceu afirma que o objetivo é concentrar "ao máximo, sem qualquer dispersão" para a ida do candidato do PT, Fernando Haddad, ao segundo turno. "Lá é que vamos enfrentar Russomanno de fato. Agora, nestas quatro semanas finais de campanha para o 7 de outubro, 1° turno, nossa disputa é com José Serra. Disputar para eliminar suas possibilidade de ir para o 2° turno", recomenda.

do site de Claudio Humberto.

Alô Alô: Baiano é uma das 100 personalidades mais influentes do agronegócio

O empresário e publicitário baiano Marco Lessa foi eleito, pela segunda vez, uma das 100 personalidades mais influentes do agronegócio no Br...